Domingo, 23 de Junho de 2024

POLÍTICA Sexta-feira, 03 de Maio de 2024, 08:37 - A | A

Sexta-feira, 03 de Maio de 2024, 08h:37 - A | A

TROCA DE FARPAS

Cezinha ameaça judicializar "acusações" realizadas por Abilio contra ele e o deputado Elizeu

Evelyn Siqueira/ O Bom da Notícia

O vereador Cezinha Nascimento (UB) negou durante conversa com a imprensa, nesta quinta-feira (02), na Câmara Municipal, a existência de um atrito entre os irmãos Nascimento [ele e o deputado estadual, Elizeu] com o deputado federal e pré-candidato a Prefeitura de Cuiabá, Abilio Brunini.

A afirmação surgiu após ser questionado sobre as recentes trocas de farpas nas redes sociais entre os parlamentares estadual e federal - ambos do PL. Vale lembrar que as rusgas se iniciaram após Brunini barrar a ida de Cezinha para o Partido Liberal, no período da janela partidária. Sob a justificativa, inclusive, do pré-candidado ao comando do Palácio Alencastro, que Elizeu teria barrado vários nomes, inclusive, politicamente, mais à direita do que ele.

E ainda que Cezinha, mesmo no União, sempre fez parte da base de apoio, na Câmara de Vereadores, do prefeito Emanuel Pinheiro(MDB).

“Na verdade, na questão do Abílio não posso falar que a família Nascimento tem uma briga com Abílio! Pois, a família Nascimento respeita todas as famílias que residem em Cuiabá, assim como todos os políticos, pois somos uma família muito respeitada por causa dos ensinamentos dos meus pais”, disse Cezinha

Durante a sua declaração à imprensa, Cezinha cobrou a falta de ‘consideração’ do deputado federal com os Nascimento, pois os irmãos o apoiaram em 2020 na disputa pela Prefeitura de Cuiabá, na campanha contra o atual prefeito, Emanuel Pinheiro.

Recomendando, porém, que quem apontar ‘acusações’ contra ele e o irmão, serão responsabilizados judicialmente.

“O Abílio precisa ter um pouco de consideração com nós devido à eleição passada, já que eu e meu irmão trabalhamos voluntariamente para ele, pedindo voto e depois nós vimos que ele não era que a gente pensava. Portanto, quanto a esta questão do Abílio, o que ele falar sobre nós, terá que responder na Vara Cível ou Criminal”, pontuou.