Sábado, 15 de Junho de 2024

POLÍTICA Sexta-feira, 18 de Setembro de 2020, 09:05 - A | A

Sexta-feira, 18 de Setembro de 2020, 09h:05 - A | A

DISPUTA PELA PREFEITURA DE CUIABÁ

Com estratégias que prometem aposta alta nas redes oito candidatos miram o Alencastro

Rafael Martins/O Bom da Notícia

Reprodução

CANDIDATOS PREFEITOS

 

A briga pelo Alencastro de fato começou. O primeiro turno das eleições municipais será no dia 15 de novembro.

Com o fim das convenções partidárias na última quarta-feira (16), oito candidatos foram lançados à disputa pela Prefeitura de Cuiabá. 

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) foi o último dos postulantes a anunciar candidatura, pelas redes sociais. Ele fechou uma coligação, denominada “A mudança merece continuar”, com participação de 12 siglas: MDB, PP, PV, PSB, PSDB, Republicanos, PL, PTC, PCdoB, PMB, PTB e Solidariedade. O ex-secretário municipal de Serviços Urbanos, José Roberto Stopa (PV), será o vice na chapa.

Uma pesquisa feita pelo Instituto Vetor - à pedido do Leiagora - aponta que 69% dos entrevistados dizem que o chefe do Executivo, Emanuel Pinheiro, não merece ser reeleito. Somente 22% defendem que ele permaneça na Prefeitura, enquanto  8% diz não saber e apenas 1% não respondeu. 

O ex-prefeito da Capital, o comunicador Roberto França, foi oficializado como candidato pelo Patriota. Ele terá como vice o vereador Marcelo Bussiki (DEM).

França conseguiu fechar a aliança com o PSD e ainda busca outras siglas para lhe dar apoio. Ele tem apostado na campanha corpo a corpo e sob o mote da anticorrupção. Nas articulações e na composição do DEM com o Patriotas, França ganhou um apoio de peso e, desta forma assegurou que o governador do Estado Mauro Mendes seja o seu melhor cabo eleitoral, junto com o presidente da república Jair Bolsonaro(sem partido). Adiantando que - em se tratanfo de Bolsonaro - esta disposição de defender seu nome ocorra no segundo turno das eleições.

A ex-superintendente do Procon, Gisela Simona (PROS) também foi lançada como candidata à prefeitura de Cuiabá. Ela é a única mulher a disputar o pleito. No início do ano, o Pros lançou Gisela como candidata ao Senado Federal, mas devido à pandemia do coronavírus a eleição suplementar - que ocorreria no dia 26 de abril -, foi suspensa. Ela terá como vice, o maestro Fabrício Carvalho (PDT), que recuou da disputa como cabeça de chapa e agora segue com ela. Além do Pros e do PDT, Gisela ainda terá o apoio dde duas outras legendas: Rede e Avante.

O vereador Abílio Júnior (Podemos), opositor ferrenho do prefeito, também foi lançado como candidato. Ele terá apoio do partido Cidadania que indicou seu colega de parlamento, Felipe Wellaton, como vice da chapa; outro grande opositor à administração do atual prefeito. Abílio prevê uma campanha com muitos ataques e de 'baixo nível', ao lembrar que somente o fato de Emanuel Pinheiro buscar a reeleição sinalizaria que o pleito teria caído o nível de discussão. Ainda que torça por uma campanha com mais debate de ideias e com grandes debates ocorrendo no ambiente virtual. 

O PSL oficializou o advogado e presidente estadual da legenda, Aécio Rodrigues, como candidato à prefeitura da Capital. O partido conseguiu aliança com o PRTB que indicou como vice na chapa o empresário Luiz Antônio de Carvalho, que recuou do projeto de candidatura a prefeito.

Chapa pura

Três partidos lançaram chapas puras ao Palácio Alencastro. O Novo oficializou o administrador Paulo Henrique Grando como candidato a prefeito e o empresário Alvani Laurindo como vice.

O Partido dos Trabalhadores (PT) lançou o ex-juiz federal Julier Sebastião como postulante e como vice a professora Vera Bertoline.

O PSOL apresentou o servidor público Gilberto Lopes Filho (PSOL) e Itei Daltro como candidatos a prefeito e vice, respectivamente.

Após as convenções, os partidos têm até o dia 26 de setembro para registro de candidaturas. Cada nome lançado pelas siglas para prefeito, vice e vereador será analisado pela Justiça Eleitoral.