Domingo, 16 de Junho de 2024

POLÍTICA Domingo, 20 de Setembro de 2020, 17:17 - A | A

Domingo, 20 de Setembro de 2020, 17h:17 - A | A

ELEIÇÕES 2020

Com pouco dinheiro e uma vontade gigante, Fellipe não se deixa intimidar e volta enfrentar as urnas

Vivian Nunes/Marisa Batalha/O Bom da Notícia
"

Foto: Reprodução

Fellipe Correa

 

Profissional em Marketing Político Digital, ex-assessor do vereador Felipe Wellaton (Cidadania) e criador do abaixo-assinado digital forapaleto.com.br, Fellipe Corrêa, de 33 anos, apesar de jovem, já foi candidato duas vezes pela Rede Sustentabilidade.

E esta semana confiirmou novamente sua intenção de disputar uma vaga na Câmara de Vereadores de Cuiabá, na convenção partidária do Cidadania, legenda a que se filiou.

Em conversa com o O Bom da Notícia sobre os desafios de enfrentar as urnas com pouco dinheiro e sobre as perspectivas para o uso da internet nas eleições de 2020, Fellipe ainda conta os motivos pelos quais nunca desistiu de disputar um cargo eletivo.

Ao asseverar que política é uma missão com a qual nasceu, revelando duas grandes metas que o motivam.  

“A primeira é implodir as engrenagens que mantém quem não representa o povo no poder. Faço isso há anos na internet, e chegou a hora de lançar holofotes nessa relação  doentia entre os vereadores com a Prefeitura de Cuiabá. Como forma de desnudar o troca-troca de favores, usando dinheiro público e, sobretudo, constranger quem vira despachante por cargos para seus cabos eleitorais, por exemplo. Ao mesmo tempo, queremos provar que dá para solucionar os problemas das comunidades, mobilizando-as para pressionar o Executivo, sem precisar ser um pau-mandado para ser atendido. Ambas as frentes usando tecnologia e marketing digital, com baixo custo e alto impacto".

A outra motivação, de acordo com Corrêa, é um sonho de longo prazo, mas que o move, em definitivo: 'despertar a sociedade para a urgência de ensinar aos futuros cidadãos, ou seja, às nossas crianças, o essencial para votar com consciência e fiscalizar quem elegerem. Eles serão os eleitores e eleitos de amanhã'.  

O jovem ainda assegura que não se sente intimidado em voltar a encarar uma disputa à Câmara de Vereadores com pouco dinheiro e somente com muita disposição. “É uma oportunidade de fazer escola, provar que é possível, e motivar outros como eu a ocuparem espaço na política e realizarem verdadeira renovação, com novos sobrenomes e fora da coleira dos caciques de sempre. Nesta eleição, inclusive, algumas pessoas que sei que votaram em mim nas anteriores vão se candidatar, e isso me deixa feliz, de verdade. É a minha geração se levantando. E se ainda falta o dinheiro, aprendemos muito nessa estrada”, afirmou.  

Jovem e sonhador, Fellipe contou os motivos pelos quais não desistiu ainda de disputar um cargo eletivo, por uma vaga na Câmara. Segundo ele, a política é uma missão com a qual nasceu e diz ainda ter duas metas que o motivam

Especialista em Marketing Político Digital, Fellipe garante que estratégia é o que não falta para conseguir burlar a falta de dinheiro que, possivelmente, terá em sua campanha. E mesmo que o Cidadania tenha poucos recursos, ainda sim, não afetará em nada em sua corrida eleitoral.  

“Sou profissional em Marketing Político Digital, por isso precisava aprender a fazer o que eu não tinha dinheiro para pagar. Então estratégia é o que não falta. Eu nunca recebi fundo partidário para minhas campanhas anteriores, então o Cidadania ter poucos recursos não me afeta, pois não será novidade para mim. Além disso, não escolhi a sigla pela promessa de dinheiro ou tempo de TV, e partidos que tem isso a oferecer são feudos com caciques aos quais você tem que se submeter, e eu não me submeto a esses dinossauros. Mas aproveito para convidar quem quiser colaborar para doar na vaquinha do site fellipecorrea.com.br, e qualquer valor terá muito valor! Sobre as perspectivas eleitorais, não se engane, o Cidadania deve eleger uma bancada expressiva. A chapa está completa, tem ótimos candidatos, e toda a preparação dada pelo Protagonize se refletirá nas urnas, tenho certeza”.    

O candidato foi criador do abaixo-assinado digital forapaleto.com.br, para a volta da CPI do Paletó, na Câmara de Vereadores de Cuiabá – que foi arquivada por 13 votos favoráveis contra 9 - e, agora, a Justiça determinou seu retorno sob a justificativa que o petebista Misael Galvão teria 'violado o regime interno da Casa de Leis’.

Ainda que Fellipe não se furte ao direito de acreditar que contribuiu com este movimento que liderou nas redes sociais, contudo, os méritos maiores, de acordo com ele, é do vereador Marcelo Bussiki, presidente da CPI do Paletó, na Câmara, responsável por impetrar mandado de segurança contra a manobra do presidente da Casa de Leis, 'para arquivar, na surdina, o relatório que pedia o afastamento e cassação do prefeito'.

“O abaixo assinado foi responsável, na verdade, em acelerar o desespero da base de Emanuel Pinheiro, na Câmara, levando o grupo a colocar a votação na pauta, da noite para o dia. Cada pessoa que assina a petição eletrônica recebe, na hora, o contato de cada um dos vereadores para cobrá-los, e foram milhares de assinaturas. Se Misael queria aliviar a pressão da sociedade, sobre quem defende o prefeito, agora vão tomar a pressão no período eleitoral” diz Fellipe.  

A democracia é uma vitória da geração dos meus pais. O legado da nossa geração às próximas deve ser uma democracia que funcione. Esse é meu propósito.

Dentro de uma missão dura e desgastada que é a política, Fellipe diz que a maneira como alguns homens públicos trabalham dentro do ambiente político, às vezes resultam em uma certa descrença na democracia, como se ela fosse incapaz de solucionar os problemas da sociedade. Entretanto, ele acredita, piamente, que são as nossas escolhas as responsáveis pelas boas coisas e as ruins, inclusive a escolha daqueles que irão representar a comunidade. "As más decisões são culpa nossa, não da democracia. Ela é só um instrumento, aliás, o melhor que a humanidade conhece, para que pessoas diferentes tomem decisões coletivas. A outra opção é a lei do mais forte, e já há quem peça por isso à luz do dia, usando sua liberdade para pedir o fim de todas as liberdades".

“A democracia é uma vitória da geração dos meus pais. O legado da nossa geração às próximas deve ser uma democracia que funcione. Esse é meu propósito. O básico ao exercício da cidadania deve ser ensinado nas escolas, para aprender ao menos o que se cobra de direito constitucional em um concurso de nível médio. Só assim para votar com consciência e fiscalizar quem se elegeu. Se a escola não ensinar isso, pais que não sabem vão ensinar? Isso é combater a corrupção de verdade: capacitar a todos para o controle social. É a missão da minha geração”, afirma.  

E longe do mote ‘tostão contra um milhão’, Fellipe Corrêa acredita na garra de continuar, de persistir em alcançar um sonho. Na utilização correta das redes sociais para expor ideias, mas também como ferramenta eficiente para apontar o mau uso do dinheiro público e carimbar 'aqueles que adoram viver do toma lá dá cá'. E que entra nesta candidatura sabendo das dificuldades, prometendo fazer, contudo, um bom debate. Ao realizar como 'um bom guerreiro, um bom combate'.

"Eu sei que ao mesmo tempo em que as redes sociais deram voz a todos, o poder econômico continua esmagador para gente como eu. Como concorrer com quem gasta meio milhão em uma campanha para vereador? E estou falando só do legal, declarado, porque a compra de votos ainda é uma realidade. Costumo dizer que corrupto não rouba para enriquecer, rouba para comprar gente e se manter no poder. Enfim, entender da realidade que enfrentamos é metade do caminho, e a outra metade é saber usar essas novas tecnologias de forma eficaz. Assim, sempre sugiro que todos aprendam sobre marketing digital e aprendam sobre política”, ainda diz Fellipe.