Segunda-feira, 20 de Maio de 2024

POLÍTICA Domingo, 21 de Abril de 2024, 18:08 - A | A

Domingo, 21 de Abril de 2024, 18h:08 - A | A

EM FAVOR DO SETOR

De cantor sertanejo a secretário e deputado, Beto recomenda que artistas busquem a política

Marisa Batalha/Silvano Costa/O Bom da Notícia

O deputado Beto Dois a Um (União Brasil) - que tem em seu currículo uma carreira de sucesso como empresário e cantor sertanejo -, antes de pular para a ambiência política e garantir uma cadeira no Legislativo estadual aos 46 anos. Claro, antes tendo passado pelas secretarias de Cuiabá e de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, afiançou nesta última sexta-feira (19), que estaria passando da hora de profissionais desta área[economia criativa] buscar o protagonismo político. Admitindo, porém, que são poucos os incentivos da categoria para que este salto seja dado. 

"Eu sou um grande incentivador de que os trabalhadores da cultura e do esporte participem das eleições municipais. Quem não participa do processo político fica fora da construção da política pública", disse. 

Beto explicou que a Câmara Setorial, tanto do Esporte quanto da Cultura, servem para garantir que, independente de quem esteja governando o estado, as políticas públicas para essas áreas sejam cumpridas. 

"A função da Câmara Setorial do Esporte e da Câmara Setorial da Cultura é que nós consigamos construir instrumentos, mecanismos, uma nova Lei de Incentivo à Cultura e ao Esporte, que independente do governador que lá esteja, do secretário que lá esteja, as boas políticas públicas que foram construídas até aqui permaneçam e continuem. Temos que ampliar o que a gente conseguiu e não aceitar menos do que a gente já tem", explicou. 

O deputado foi responsável pela criação das duas Câmaras Setoriais: a da cultura em junho do ano passado e a do esporte no início deste mês. 

Sempre inserido no meio, Beto diz que seu trabalho na gestão do governo Mauro Mendes lhe deu reconhecimento para ser eleito deputado. Para o deputado, a representatividade política em cultura e esporte é uma lacuna que ele preencheu.

"O trabalho junto com o Conselho Estadual de Cultura, o de Desporto, foi um momento tão especial de crescimento que deu visibilidade suficiente para eleger um deputado. Há muito tempo a cultura e o esporte não têem representatividade política tão legítima e tão pura no parlamento estadual", contou.