Quinta-feira, 20 de Junho de 2024

POLÍTICA Terça-feira, 25 de Agosto de 2020, 12:26 - A | A

Terça-feira, 25 de Agosto de 2020, 12h:26 - A | A

PRESIDENTE INTERINO NA AL-MT

Deputado promete limpar pauta, mas aponta vários projetos aguardando na fila na AL

Marisa Batalha/O Bom da Notícia

O presidente interino da Assembleia Legislativa, o deputado estadual João Batista (Pros) revelou nesta última segunda-feira (24), que deverá ganhar prioridade dos colegas parlamentares, em discussão plenária, os Projetos de Lei Complementar[PLC] da Previdência e o das lideranças partidárias, que trata da isenção na previdência dos servidores aposentados que recebem até três salários mínimos.

Assegurando que o debate ocorre nesta quarta-feira(26), ainda que para muitos deputados - que estão no grupo de risco, nesta pandemia -, de forma virtual. Lembrando que ficaram em 'stand by' várias matérias legislativas, por conta da apreciação do Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da Previdência que ocorreu na semana passada.

"Muitos projetos, em particular, de autoria dos parlamentares ficaram aguardando na fila. Ainda que continue tendo grande importância as mensagens do Executivo, em especial, as que tem urgência,  daremos, contudo, prioridade aos projetos dos parlamentares".

João Batista assumiu a direção da Mesa Diretora da Casa de Leis, após o presidente do parlamento, o deputado estadual democrata, Eduardo Botelho, protocolar pedido de licença para dar continuidade ao tratamento da Covid-19. Já que alguns exames mostraram que ainda haveriam sequelas pulmonares deixadas em decorrência da Covid-19.

Asseverando que o parlamento estadual possui pautas bem cheias. E que sabe, de antemão, da necessidade de que ocorram algumas sessões para limpa-las. Dentre elas, vários vetos que precisam ser apreciados. 'Além da discussão de PECs como da Polícia Penal que vem se arrastando e agora está apta para ser votada'.

João Batista assumiu a direção da Mesa Diretora da Casa de Leis, após o presidente do parlamento, o deputado estadual democrata, Eduardo Botelho, protocolar pedido de licença para dar continuidade ao tratamento da Covid-19. Já que alguns exames mostraram que ainda haveriam sequelas pulmonares deixadas em decorrência da Covid-19. Assim, voltando para realizar nova bateria de exames no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde ficou duas semanas internado para se tratar do coronavírus e depois acabar o tratamento em casa, mas distante do Legislativo estadual.

Para o parlamentar do Pros, a substituição não só a Botelho, mas dupla, pois a deputada Janaina Riva, vice-presidente do parlamento, igualmente, se afastou da Assembleia, após pedido de licença-maternidade, o deixou com uma imensa responsabilidade. "Tenho consciência que o parlamento é um poder do povo e nossa obrigação é atender todas as demandas. Encaminhadas pelo governo do Estado e as pautadas pelos deputados, que têm que ser discutidas e analisadas. Como estamos, infelizmente, em uma pandemia, não podemos ainda dar acesso à população, para que possa estar também contribuindo. Mas temos aplicativos para que o cidadão possa estar nos ajudando virtualmente".

Ainda revelando sobre a necessidade dos distanciamento de Botelho, neste momento, já que o presidente da Casa, ainda precisa se curar, em definitivo, de quaisquer sequelas deixadas em decorrência da covi-19, após contrair a doença."Assim, estaremos aqui, neste período, presidindo oo Legislativo, pois é melhor mesmo que Botelho vá fazer o tratamento e volte aí com saúde para retomar o trabalho".

Distanciamento de Botelho

Na terça-feira da semana passada (18), o deputado estadual democrata, Eduardo Botelho, em conversa com jornalistas, anunciou seu pedido de licença da Casa de Leis, declarando que já teria protocolado junto a Mesa Diretora seu pedido pada dar continuidade ao tratamento da Covid-19.

Ao pontuar, que ainda não estaria se sentindo bem, após contrair a covid-19. E que, nos últimos tempos, estarria tendo muita crise de tosse, dor de cabeça e febre. Assim, optando em realizar mais examens no Sírio-Libanês, para tratar especificamente destas sequelas.

"[...]Eu pedi para os deputados para anteciparmos algumas discussões para que eu possa entrar, com tranquilidade, em um afastamento para cuidar destas sequelas. E como a deputada Janaína Riva, que é vice-presidente, também entrou com licença-maternidade, assume em meu lugar o deputado João Batista. Mas estou saindo de licença sem nenhum ônus, não vou receber salário, porque assim posso ficar o tempo necessário, Desta forma, não sei se vou ficar, 15, 30 ou 40 dias, volto quando estiver melhor [...] Neste período preciso me dedicar a este tratamento porque realmente a sequela que fica no pulmão é perigosa. A gente precisa realmente cuidar disso, pois temos visto muitos casos aí que estão tendo recaídas. Vimo aí o governador Mauro Mendes que depois de ter a covid-19, teve uma recaída, acabando tendo uma pneumonia e precisando de internação. Então eu vou sair especificamente para cuidar nesse momento do pulmão. Como os médicos me pediram para fazer uma série de novos exames, eu ficou em São Paulo por um período e retorno, mas dentro de casa, até ficar 100% curado".