Domingo, 19 de Maio de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2024, 14:22 - A | A

Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2024, 14h:22 - A | A

CIRURGIAS

Empresa alvo de investigação rompe contrato com Prefeitura de Cuiabá

Luciana Nunes/ O Bom da Notícia

Por meio de nota encaminhada à imprensa, a empresa de gestão de saúde, MedTrauma antecipou o fim do vínculo profissional com a Prefeitura de Cuiabá, e estará atendendo os pacientes e cirurgias agendadas até o início da noite de sexta-feira (23).

“Nos últimos dias, tentamos de todas as formas buscar soluções diante do decreto do senhor Prefeito que suspendeu o contrato da MedTrauma e de outra norma, editada pela Empresa Cuiabana de Saúde, que na prática revogava o objeto do contrato firmado com nossa empresa. Ainda assim, sempre colocamos a saúde em primeiro lugar e o atendimento aos pacientes como nossa missão”, diz início do comunicado enviado à imprensa.

Ainda no comunicado a MedTrauma ressaltou as difculdades enfrentadas recentemente, como a falta de materiais para realizar cirurgias, além do atraso no pagamento do repasse pelo contrato

“Ainda assim, buscamos manter o atendimento, arcando com pesados prejuízos. Até mesmo a falta de material para realizar cirurgias, que antes estavam zeradas, passou a acontecer nos últimos dias”, acrescentou.

Vale lembrar que a empresa é alvo de de investigações por supostas irregularidades na execução de serviços ortopédicos em hospitais de Mato Grosso, e a decisão foi tomada após a prefeitura de Cuiabá enviar uma comunicação sobre a empresa não poder contar mais com a confiança das autoridades municipais.

Também por meio de nota a Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá informou que irá realizar contratação emergencial e substituirá Medtrauma na sexta-feira.

“A contratação terá toda segurança jurídica, com acompanhamento e avaliação do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT) e do Ministério Público de Mato Grosso (MPMT). Com a decisão, a população não ficará desassistida nos casos de procedimentos cirúrgicos ortopédicos no Hospital Municipal de Cuiabá (HMC)”, diz trecho da nota da prefeitura.

Em paralelo a isso a prefeitura informou que está em andamento procedimento licitatório para a contratação de nova empresa em caráter definitivo.

Em reunião realizada nesta quarta-feira (22), o presidente do TCE-MT, conselheiro Sérgio Ricardo,  concordou em realizar o acompanhamento da contratação, aumentando a segurança jurídica do novo contrato.

Com a decisão, a população não ficará desassistida nos casos de procedimentos cirúrgicos ortopédicos no Hospital Municipal de Cuiabá (HMC).

Como afirmado anteriormente, não ocorreu cancelamento de procedimentos cirúrgicos após o decreto de suspensão do contrato com a empresa. O procedimento, na verdade, foi de reagendamento, com todos os pacientes sendo atendidos normalmente em seguida.

Veja as notas 

ESCLARECIMENTO:

À população de Cuiabá

Recebemos na quarta-feira, com enorme surpresa, a comunicação da prefeitura de Cuiabá de que a MedTrauma não conta com a confiança das autoridades municipais.

Nos últimos dias, tentamos de todas as formas buscar soluções diante do decreto do senhor Prefeito que suspendeu o contrato da MedTrauma e de outra norma, editada pela Empresa Cuiabana de Saúde, que na prática revogava o objeto do contrato firmado com nossa empresa.

Ainda assim, sempre colocamos a saúde em primeiro lugar e o atendimento aos pacientes como nossa missão.

Mas, diante da comunicação de que a MedTrauma está sofrendo uma “auditoria” - que não é apenas financeira e pode incluir também todos os procedimentos médicos e clínicos - entendemos que não podemos estar sendo questionados pelo Poder Público e, ao mesmo tempo, continuar prestando atendimento.

A MedTrauma fez de tudo para colocar seu compromisso com os pacientes da capital em primeiro lugar, sacrificando até mesmo sua saúde financeira: a empresa está há mais de 3 meses sem receber da Prefeitura, o que configura a condição para a rescisão contratual. Ainda assim, buscamos manter o atendimento, arcando com pesados prejuízos.

Até mesmo a falta de material para realizar cirurgias, que antes estavam zeradas, passou a acontecer nos últimos dias.

Todavia, o fato novo de quarta-feira levanta uma questão ética: como profissionais de saúde que lidam com vidas humanas podem continuar a cumprir o seu ofício se, publicamente, não contam com a confiança de seu contratante?

Dessa forma, entendemos que o mais ético a fazer é aguardar o resultado final da auditoria e suas conclusões. Se o Poder Público se tornar fonte de insegurança e imprevisibilidade, nosso dever é colaborar para que a normalidade seja o mais rapidamente retomada, em nome do interesse público.

Assim, estamos anunciando a antecipação do fim de nosso vínculo profissional com a prefeitura de Cuiabá.

Estaremos atendendo até as 19 horas desta sexta-feira (23), em respeito aos pacientes e cirurgias já agendadas.

Lamentamos profundamente que a situação criada, totalmente à nossa revelia, tenha chegado a esse ponto.

A vida e a medicina são questões que não podem ser tratadas com nada menos do que absoluto rigor, respeito e responsabilidade.

É em nome desses princípios que tomamos a decisão de permitir à Prefeitura que possa atender à população com outros profissionais, que sejam de sua absoluta confiança, para o bem da população e de todos os pacientes.

MedTrauma

-Secretaria Municipal de Saúde realiza contratação emergencial e substituirá Medtrauma na sexta

Após inúmeras tentativas de negociação, que não tiveram sucesso em razão de decisão da empresa de não dar continuidade aos serviços médicos e aguardar auditoria, a Secretaria Municipal de Saúde anuncia a substituição da empresa Medtrauma Serviços Médicos Especializados Ltda na próxima sexta-feira (23).

A contratação terá toda segurança jurídica, com acompanhamento e avaliação do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT) e do Ministério Público de Mato Grosso (MPMT).

Em reunião realizada nesta quarta-feira (22), o presidente do TCE-MT, conselheiro Sérgio Ricardo, concordou em realizar o acompanhamento da contratação, aumentando a segurança jurídica do novo contrato.

Com a decisão, a população não ficará desassistida nos casos de procedimentos cirúrgicos ortopédicos no Hospital Municipal de Cuiabá (HMC).

Como afirmado anteriormente, não ocorreu cancelamento de procedimentos cirúrgicos após o decreto de suspensão do contrato com a empresa. O procedimento, na verdade, foi de reagendamento, com todos os pacientes sendo atendidos normalmente em seguida.