Sexta-feira, 24 de Maio de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 07 de Março de 2024, 08:33 - A | A

Quinta-feira, 07 de Março de 2024, 08h:33 - A | A

EM RONDONÓPOLIS

Medeiros destaca importância dos hospitais filantrópicos e critica perseguição do prefeito

Da Redação do O Bom da Notícia com Assessoria

O deputado federal José Medeiros (PL-MT) usou a tribuna da Câmara Federal, nesta terça-feira (6), para enfatizar a importância dos hospitais filantrópicos para o sistema público de saúde brasileiro. Em sua fala, Medeiros ressaltou que uma parcela significativa dos serviços de saúde é prestada por essas instituições e apelou por um consenso suprapartidário para garantir que os recursos destinados pela União aos filantrópicos, como as Santa Casas, sejam enviados diretamente aos hospitais.

“Precisamos desse entendimento para enviar os recursos direto para os hospitais filantrópicos, uma vez que alguns prefeitos adonam esses recursos e os filantrópicos são obrigados a acionar a Justiça para conseguir receber o que é devido”, disse Medeiros. Ele lembra que essa prática acarreta endividamento e prejuízos para os hospitais. “Isso afeta diretamente os serviços prestados aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS)”.

Para exemplificar a situação dos filantrópicos, Medeiros citou que o Hospital Santa Casa de Rondonópolis possui capacidade de ser superavitário no SUS, mas vem sendo alvo da atual gestão municipal.

“A Santa Casa sofre uma perseguição política do prefeito de Rondonópolis [José Carlos do Pátio (PSB)]. Eu espero que o deputado estadual Cláudio Paisagista (PL) seja eleito prefeito municipal e quando assumir possa velar para que os recursos que são enviados pelo Ministério da Saúde cheguem à Santa Casa, garantindo assim a continuidade dos serviços prestados à sociedade, principalmente a mais carente”, ressalta Medeiros citando ainda o deputado federal Abílio Brunini (PL) como o caminho para melhorar a saúde de Cuiabá.

O deputado classifica o não repasse de recursos aos filantrópicos de apropriação indébita e de total falta de compromisso do gestor municipal com a saúde e a população.

“Em Rondonópolis, por exemplo, o prefeito não faz o repasse para a Santa Casa e com isso inviabiliza o hospital, que atende milhares de usuários do SUS. Além de prejudicar os serviços, a Santa Casa fica com dificuldades de pagar os funcionários, inclusive os médicos, enfermeiros e técnicos. Isso é um absurdo e um total descaso com a população de Rondonópolis”, afirma Medeiros, que já destinou mais de R$ 70 milhões em emendas para evitar o fechamento da Santa Casa.

“Além de evitar o fechamento, garantimos a ampliação de serviços e o atendimento de mais de 600 mil pessoas da Região Sul e Sudeste de Mato Grosso”.