Domingo, 19 de Maio de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2024, 10:03 - A | A

Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2024, 10h:03 - A | A

POR MEIO DE NOTA

Ministério das Cidades afirma que VLT em Cuiabá não está aprovado e que não há data para anunciar projetos selecionados

Outras 376 propostas disputam orçamento total de R$ 14,5 bilhões  

Da Redação do Bom da Notícia com Assessoria

Em nota, o Ministério das Cidades afirmou que o projeto de construção do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), em Cuiabá, não está aprovado, desmentindo a informação divulgada nos últimos dias pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

Conforme o ministério, o PAC da Mobilidade conta com orçamento máximo de R$ 14,5 bilhões e o projeto do VLT concorre com outras 376 propostas no país todo.

Só o VLT custaria cerca de R$ 5 bilhões, ou seja, 1/3 do valor total em uma cidade de médio porte, com 427 mil eleitores, o que demonstra por si só a inviabilidade do projeto, na esfera política.

O ministério ainda ressaltou que sequer há uma data para anunciar quais dos 376 projetos serão selecionados.

Com o posicionamento oficial, o órgão federal joga por terra o devaneio do prefeito, que além de ter dito que o VLT estava aprovado, chegou a anunciar a licitação para as obras no dia 29 de março.

Ao invés de gastar sua energia para resolver a buraqueira nas ruas de Cuiabá, que há anos traz prejuízo e sofrimento à população, Emanuel foca em propagar mentiras em ano eleitoral para tentar resgatar o prestígio que não tem mais.

NOTA SOBRE VLT DE CUIABÁ

O projeto de construção do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) em Cuiabá, capital de Mato Grosso, foi apresentado para o Novo PAC.

Todas as propostas apresentadas no Novo PAC ainda estão na fase de análise de enquadramento pelo Ministério das Cidades. Somente depois dessa fase serão anunciados os projetos selecionados.

No momento, não há definição de data para o anúncio da seleção dos projetos.

SOBRE O NOVO PAC

O Novo PAC visa apoiar empreendimentos de infraestrutura de transporte de média e alta capacidade (metrô, trem, VLT e BRT) e projetos de infraestrutura de prioridade ao transporte coletivo (corredores, faixas exclusivas, centros operacionais e sistema de transporte inteligente, terminais e estações), incluindo infraestrutura para ciclistas e pedestres integrados ao projeto de transporte público.

A etapa de apresentação de projetos, lançada no final de 2023, conta com R$ 14,5 bilhões, sendo R$ 6 bilhões com recursos do Orçamento Geral da União e R$ 8,5 bilhões com recursos de financiamento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS.

Foram cadastradas, na Modalidade Grandes e Médias Cidades, 376 propostas