Quarta-feira, 17 de Julho de 2024

POLÍTICA Sexta-feira, 10 de Novembro de 2023, 09:15 - A | A

Sexta-feira, 10 de Novembro de 2023, 09h:15 - A | A

EM CUIABÁ

UPAs Verdão e Leblon obtém habilitação para receber recursos do Ministério da Saúde

Da Redação do Bom da Notícia com Assessoria

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs 24h) Verdão e Leblon, sob gestão do Gabinete Estadual de Intervenção na Saúde de Cuiabá, estão habilitadas a receber aporte financeiro do Ministério da Saúde. Cada uma das unidades receberá, anualmente, o valor de R$ 3,9 milhões para o custeio das unidades.

As UPAs Verdão e Leblon se enquadram na categoria de porte III, que tem capacidade para atender cerca de 300 mil habitantes cada. A unidade do bairro Verdão foi entregue à população em abril de 2020 e até então não era habilitada pelo Ministério da Saúde, e por isso era custeada apenas com recursos próprios.

“Ao assumirmos a gestão da Saúde, verificamos que a UPA Verdão não era habilitada. Precisamos fazer uma readequação na unidade para atender às exigências da Vigilância Sanitária para obtenção do alvará sanitário, e então darmos entrada no processo de habilitação junto ao Ministério da Saúde”, pontua a interventora Danielle Carmona.

Já a UPA Lelbon, inaugurada pelo Gabinete de Intervenção no dia 13 de julho de 2023, foi entregue à população já com o alvará sanitário e todos os requisitos necessários para a habilitação.

“Após cerca de 15 dias de funcionamento, a equipe de intervenção já iniciou o processo para a habilitação da UPA Leblon”, destaca Danielle Carmona.

O recurso aportado pelo Ministério da Saúde tem como finalidade o custeio de quaisquer ações e serviços de média e alta complexidade. O recurso já foi incorporado ao limite financeiro de Média e Alta Complexidade (MAC) de Cuiabá.

“Receber a habilitação das unidades representa uma conquista para toda a equipe. Nos empenhamos em todo o processo. E entendemos a importância desse recurso para a manutenção das unidades e que representa a prestação de serviço de qualidade à população”, conclui Danielle Carmona.