icon Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2019

POLÍTICA - A | + A

PARALISAÇÃO NA EDUCAÇÃO 19.07.2019 | 16h:59

Mendes é surpreendido e hostilizado por um grupo de grevistas em Chapada

Por: Alexandra Freire - O Bom da Notícia

Assessoria

Assessoria

Nesta sexta-feira (19), profissionais da Educação estadual - em greve já há quase dois meses -, cobraram do governador Mauro Mendes (DEM), respostas  às reivindicações da categoria durante protesto em Chapada dos Guimarães (67 km de Cuiabá).

 

O chefe do Executivo estadual realizava visita técnica a pontos turísticos do município, quando foi surpreendido e hostilizado por um grupo de grevistas, que fecharam cerco contra o gestor democrata, nas ruas da cidade. Usando palavras de ordem, dentre elas as mais repetidas dizia: 'O que finaliza greve é proposta!” e “a greve continua”. 

 

Conforme o Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep), a pressão feita pelos manifestantes irritou a comitiva, que com cotoveladas tentaram afastar o dirigente sindical para fora do perímetro, onde estavam caminhando. 

 

“Comparar o salário dos professores do estado, aos daqueles recebido pela maioria na iniciativa privada é um discurso raso [...] Diferente dos empresário donos de escola, a educação pública não visa lucro, muito antes é um direito social e para isso necessita de investimento e valorização”, disse Eduardo Vinícius.

 

Os servidores da Educação reivindicam o cumprimento da Lei 510/2013, que trata sobre aumento salarial, pagamento dos salários cortados durante o período de greve e além disso, o pagamento da RGA. Em contrapartida, o governador Mauro Mendes vêm reafirmando que não pode conceder o aumento para não ultrapassar o teto estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), de 49%.

No início do mês, os professores foram às ruas para vender balas nos sinaleiros de Cuiabá e pediram doações, numa clara resposta à queda-de-braço com governador Mauro Mendes, que vem fazendo os cortes salariais, até mesmo dos servidores que estão de licença para tratamento de saúde.

 

Na quarta-feira (17), os profissionais se concentrarão em frente ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MT), para pedir alimentos e doações. Com o slogan “Alimente quem te alimenta de conhecimento”, os professores pediram às pessoas alimentos não perecíveis como forma de contribuir com a manutenção de seus lares.

Já o chefe do Executivo estadual, Mauro Mendes, se mantém irredutível na posição de que o Estado estaria impedido, legalmente, de conceder o aumento salarial dos profissionais da Educação Pública. 

 

Segundo o Governo, é essencial o retorno aos limites de gastos com pessoal de acordo com o que estabelece a Lei de Responsabilidade Fiscal, ou seja, 49%, para que seja possível que os reajustes possam ser novamente concedidos. Atualmente o Estado está estourado em 59%.

VÍDEO

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

LEIA MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO

CONFIRA TAMBÉM NESTA SEÇÃO:































INFORME PUBLICITÁRIO





icon COTAÇÕES MT
PLUMA DISPONÍVEL R$/@ 79,87
VACA GORDA À VISTA R$/@ 182,28
MILHO DISPONÍVEL R$/sc 29,90
PREÇO DO SUÍNO VIVO R$/kg 4,62
SOJA DISPONÍVEL R$/sc 78,75
BOI GORDO À VISTA R$/@ 195,11
LEITE R$/l 1,08
Fonte: Imea







logo O bom da notícia

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte;

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet