icon Sábado, 20 de Julho de 2019

POLÍTICA - A | + A

PODERES DESALINHADOS 18.06.2019 | 16h:09

Pinheiro alfineta Mendes e diz que decisão sobre VLT tem que passar por ele; “Cuiabá tem prefeito”

Por: Ana Adélia Jácomo

Reprodução

Reprodução

Após o Governo do Estado considerar como “correta” a decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, que manteve a rescisão do contrato do Estado com o Consórcio VLT, e ter pedido prazo de 30 dias para anunciar os próximos passos e o destino do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, reagiu mal às declarações nesta terça-feira (18).

 

Pinheiro demonstrou que há falta de diálogo entre ele o governador Mauro Mendes (DEM), e chegou a mandar um recado pela imprensa ao chefe do Executivo ao afirmar que seu primeiro decreto, enquanto prefeito, foi justamente sobre a obrigatoriedade de toda e qualquer obra na cidade precisar passar pelo crivo da Prefeitura de Cuiabá. 

 

“A prefeitura de Cuiabá precisar ser ouvida. Primeiro, assinei um decreto que nada se faz sem autorização da prefeitura. Como eu já disse antes, Cuiabá não é terra de ninguém. Aqui tem prefeito, tem gestão, tem uma equipe técnica extraordinária, e a prefeitura tem que ser ouvida”. 

 

“Da mesma forma que um particular precisa de autorização da prefeitura, o governo estadual ou governo federal, se quiserem fazer obra em Cuiabá, é muito bem-vinda, mas que passe pelo crivo e análise técnica da Prefeitura de Cuiabá”, disse ele. 

 

Pinheiro fez as declarações nesta terça, durante lançamento da ordem de serviço do novo viaduto Juca do Guaraná, localizado na Avenida dos Torres.  Mendes garantiu que cumprirá sua promessa de campanha e ainda neste ano apresentará uma solução para a polêmica obra do VLT. Todavia, ele observa que o assunto é “extremamente delicado”, aponta uma série de imbróglios judiciais que impedem uma possível continuidade da obra. Até o momento, a construção do modal já sugou mais de R$ 1 bilhão dos cofres públicos. 

 

“O governador pediu um prazo de 30 dias, então está dentro do prazo. Vamos aguardar para daí podermos avançar nas conversas, mas não existe a menor possibilidade de tomar uma decisão sem ouvir a prefeitura de Cuiabá. A prefeitura precisa participar ativamente, e até mesmo das decisões políticas, até porque o impacto é direto na vida de milhares de cuiabanos”, disparou o prefeito.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

LEIA MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO

CONFIRA TAMBÉM NESTA SEÇÃO:































PROGRAMA TRIBUNA VEJA MAIS

O Bom da Notícia Programa Tribuna - 16/07/2019

INFORME PUBLICITÁRIO


INFORME PUBLICITÁRIO





icon COTAÇÕES MT
Soja Disponível R$/sc 57,00
Boi a Vista R$/@ 135,00
Milho Disponível R$/sc 21,70
Algodão R$/@ 90,09
Fonte: Imea







logo O bom da notícia

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte;

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet