Sábado, 18 de Maio de 2024

CIDADES Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2024, 14:04 - A | A

Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2024, 14h:04 - A | A

FEMINICÍDIO DE THAYS E HOMICÍDIO DE WILLIAM

MP vê afronta à justiça e pede revogação da prisão domiciliar de Carlinhos Bezerra

Da Redação do O Bom da Notícia

O Ministério Público do Estado (MPMT) apresentou um pedido urgente de revogação da prisão domiciliar de Carlos Alberto Gomes Bezerra, conhecido como Carlinhos Bezerra, autor do assassinato da ex-companheira Thays Machado e do namorado dela, Willian César Moreno, em 18 de janeiro de 2022.

No pedido, o MP alegou que Carlinhos 'afrontou a justiça' ao sair de sua residência para fazer 'compras rodeado de seguranças armados', durante período em que esteve monitorado por tornozeleira eletrônica.

"Chegou ao nosso conhecimento, também, excelência, que no período em que esteve tornozelado cumprindo prisão domiciliar, o réu fez diversos deslocamentos não autorizados pelo juízo, inclusive, comparecendo a supermercados da cidade, ladeado por segurança armados, representando uma afronta à justiça e à sociedade, e uma ameaça aos familiares e testemunhas do processo".

"Há necessidade de que venha aos autos comprovação dessas informações e, para tanto, após a revogação da prisão domiciliar, requeremos sejam requisitadas à unidade responsável pelo acompanhamento do monitoramento eletrônico que apresente relatório detalhado sobre todos os deslocamentos feitos por Carlos Alberto Gomes Bezerra, no período de 21 de novembro de 2023 até a revogação da decisão, bem como sobre eventuais interrupções no funcionamento da tornozeleira decorrentes de descarregamento ou violações", consta no documento.

Carlinhos está em prisão domiciliar desde novembro do ano passado, sob a justificativa de saúde frágil, situação que gerou revolta a amigos, parentes e em coletivos que estudam a questão da mulher e lutam pelo fim das agressões e feminicídios.

Entenda o caso

Thays Machado e Willian Moreno foram mortos a tiros no dia 18 de janeiro de 2023, em frente ao Edifício Solar Monet, quando Thays foi devolver o carro que havia emprestado da mãe para buscar o namorado no aeroporto em Várzea Grande.

Ela foi atingida por cerca de três disparos, dois nas costas e um na altura do quadril, vindo a óbito na calçada do edifício, enquanto Willian, mesmo atingido por cerca de três disparos, um no braço esquerdo e dois no peito, ainda tentou fugir do agressor, mas acabou caindo a poucos metros da namorada.

Câmeras de seguranças mostraram que Carlos Alberto Bezerra 'rondava' o prédio desde o início da semana, o que fez a polícia já trabalhar com a premeditação dos crimes.

Reforça esta tese o Boletim de Ocorrência registrado por Thays ainda no dia de sua morte, uma ligação para o 190 ainda na madrugada do dia 18 de janeiro para denunciar que estaria sendo perseguida pelo ex-companheiro, além dos vários comentários feitos à família que vinha sendo ameaçada de morte. Este já seria o segundo BO.

Ainda no dia dos assassinatos, dezenas de mensagens postadas nas redes sociais, descreviam Thays como uma pessoa querida, alegre e de bom coração. Alguns, mais próximos à vítima, lembraram de que ela 'foi uma mãe incrível, uma excelente profissional e um ser humano de coração gigantesco'.