Quarta-feira, 17 de Julho de 2024

CIDADES Segunda-feira, 27 de Março de 2023, 08:20 - A | A

Segunda-feira, 27 de Março de 2023, 08h:20 - A | A

MT

Volume de passageiros em janeiro é 13,2% maior do que no mesmo período pré-pandemia

Da redação do o Bom da Notícia/Com Assessoria

Em janeiro deste ano, 358,2 mil passageiros voaram em Mato Grosso, um índice 13,2% maior do que em janeiro de 2019, no pré-pandemia, quando 316.492 embarcaram e desembarcaram em solo mato-grossense. Os dados são do Observatório de Desenvolvimento do Estado de Mato Grosso, com base nas informações da Secretaria Nacional de Aviação Civil.  

Em relação ao ano passado, houve crescimento de 15,3% nos embarques e 16,6% nos desembarques no Estado. Em janeiro de 2023, 168.824 passageiros embarcaram e outros 189.444 desembarcaram.

Conforme as informações do Boletim do Turismo no Estado, o fluxo de passageiros nos aeroportos é considerado um indicador importante para traçar estratégias de acesso aos destinos e atrativos turísticos do estado, já que é uma das principais formas de entrada de turistas estrangeiros e de outros estados do país à Mato Grosso. 

Os embarques e desembarques no ano de 2022 foram 43,4% a mais do que em 2021. No ano passado, 3.397.289 passageiros voaram aqui no Estado, contra um total de 2.369.668 em 2021, apontando uma recuperação para o setor. 

O Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, é a principal porta de entrada com 86% dos embarques e desembarques. Em 2022, passaram 2,9 milhões de passageiros, um aumento de 40,5% no fluxo do aeroporto em relação a 2021 (2.097.763). 

Nos demais aeroportos, em Sinop o fluxo de 2022 também superou em 75,5% o ano anterior, com 304.945 embarques e desembarques. O aeroporto de Rondonópolis finalizou 2022 com 42,2 mil passageiros, 32,2% a mais que o fluxo de 2021. Em Alta Floresta os embarques e desembarques foram de 54,7 mil passageiros, resultado superior em 10,1% em comparação a 2021. Já em Sorriso, o fluxo total foi de 48.735 passageiros, 195,6% de aumento em relação à 2021.

Para o secretário adjunto de Turismo de Mato Grosso, Jefferson Moreno, os dados apenas consolidam a recuperação do setor no pós-pandemia com mais pessoas viajando, mesmo com as passagens aéreas mais caras do que eram antes da covid-19.

“Esperamos que ao longo de 2023 possamos superar a quantidade de passageiros que voaram por Mato Grosso em 2022. Algumas políticas que tem sido discutidas pelo Governo Federal para reduzir o preço das passagens, permitir que mais pessoas viagem, traz reflexos com aumento na taxa de ocupação hoteleira, movimentação de bares e restaurantes e o comércio em geral”. 

Jefferson destaca também que a Medida Provisória 1.138/2022 aprovada pelo Senado Federal, e que reduziu para 6% o imposto que atinge transações internacionais intermediadas por agências de viagem e demais operadoras de turismo brasileiras, vai ajudar as agências de turismo. 
A alíquota em vigor desde 2020 era de 25% e agora é de 6%, desde 1º de janeiro de 2023. 

“Com isso, pacotes turísticos, reserva de voos, hotéis, passeios e cruzeiros marítimos podem ficar mais baratos para o consumidor, fomentando ainda o consumo e mais pessoas viajando”, avalia