Domingo, 16 de Junho de 2024

Cast do Bom Terça-feira, 15 de Setembro de 2020, 12:00 - A | A

Terça-feira, 15 de Setembro de 2020, 12h:00 - A | A

ASSISTA AQUI

Eder Moraes discute em live do O Bom condenações na Justiça, quando era secretário de Estado

Vivian Nunes/ Especial para O Bom da Notícia

O site O Bom da Notícia receberá em live nesta terça-feira (15), às 15 horas, Eder Moraes, ex-secretário de Estado de Fazenda, na gestão de Silval Barbosa(sem partido). O ex-secretário é apontado em várias ações na Justiça, como um dos participantes, na época, , de esquemas que desviaram mais de meio bilhão dos cofres públicos.

Em uma nova condenação dada pelo juiz federal da 5ª Vara Federal de Cuiabá, Jeferson Schneider - pelos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção ativa, corrupção passiva e peculato, em ação penal oriunda Operação Ararath -, atendendo o Ministério Público Federal de Mato Grosso, o magistrado condenou o Eder a mais 45 anos de prisão, e determinou que ele devolva R$ 99,2 milhões aos cofres do Estado, a título de indenização e 1.250 dias-multa.

 A ação é referente à denúncia do MPF, que aponta que Eder Moraes - na condição de secretário estadual de Fazenda, na gestão do ex-governador -, teria articulado pagamento superfaturado em mais de R$ 61 milhões, de uma dívida do governo do Estado com a construtora Encomind Engenharia. Além do pagamento de R$ 11,9 milhões em propina paga pelo empresário Rodolfo Aurélio Borges de Campos, dono da empresa Encomind Engenharia Comércio e Indústria Ltda.   

Outro lado

Por meio de nota, o ex-secretário Éder Moraes se posicionou dizendo que 'nunca foi egoísta em sua vida'. Apontando que, relativo às cinco citações na sentença judicia,l proferida por Schneider, em relação ao processo da Encomind, só lhe restaria 'a resiliência' e  que, 'fatalmente, fará parte de nossas argumentações jurídicas em sede de recursos cabíveis' .

"Nunca recebi  um centavo de propina de ninguém da Encomind. Fato confirmado por seus administradores e proprietários", diz em trecho da nota. (Veja nota na óntegra abaixo).

Veja nota na íntegra

*Nunca fui egoísta  em toda a minha vida*  

Relativamente às cinco citações na sentença judicial proferida por sua excelência o Juiz da 5. Vara Federal , em relação ao processo da Encomind . Só me resta resiliência e fatalmente fará parte de nossas argumentações jurídicas em sede de recursos cabíveis . “ nunca recebi 1 centavo de propina de ninguém da Encomind , fato confirmado por seus administradores e proprietários . Caucar-se exclusivamente na fala de um delator comprovadamente criminoso , que afirmou em juízo nunca ter me dado qualquer dinheiro , construir uma narrativa com base em ilações e sem comprovações de fato , torna muito perigoso a prevalência da dignidade humana que deveria ser mola mestra de qualquer formação de juízo em consonância com o princípio da presunção de inocência . Entregar todas os créditos a uma fala de um desesperado e colocar a margem toda defesa do injustamente acusado , não é justiça imparcial “ disse Éder Moraes.   

Pra finalizar usam de um depoimento já retratado publicamente , compartilhado entre os MP’s sem o mínimo lastro legal , durante toda a coleta de informações do delator foram citadas autoridades com foro privilegiado e durante e após a primeira fase da operação continuaram a USURPAÇÃO escandalosa de competências, foi insistir no erro de forma consciente e livre por parte dos acusadores e julgador , continuando a produzir efeitos nocivos e devastadores nas condutas e danos irreparáveis há alguns réus ... ou seja , fundamentar decisões em “disse que disse “ e “sob orientação “ fatos não provados , nos parece algo a ser duramente combatido nos tribunais superiores que por muito menos que isso anularam operações maiores que a ARARATH.   

Decisão judicial cumpre-se e recorre-se no devido processo legal, nunca fui beneficiado com um centavo público e tenho minha consciência livre ... finalizou Moraes.

 

VÍDEO