Sexta-feira, 14 de Junho de 2024

POLÍCIA Quarta-feira, 11 de Novembro de 2020, 09:39 - A | A

Quarta-feira, 11 de Novembro de 2020, 09h:39 - A | A

BARRA DO GARÇAS

Polícia Federal deflagra operação contra facção criminosa que financia políticos de MT

O Bom da Notícia

Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (11), a Operação Captura de Estado, com o objetivo de investigar crimes eleitorais praticados por uma organização criminosa atuante em Barra do Garças (509 km ao Leste de Cuiabá). Uma pessoa foi presa em flagrante por tentar destruir um aparelho apreendido.

De acordo com as informações, foram cumpridos 3 mandados de busca e apreensão contra os integrantes da facção criminosa, expedidos pela 9º Zona Eleitoral de Barra do Garças.  Uma das investigadas foi candidata ao cargo de vereadora de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, na última eleição. 

 

A investigada, que não teve a identidade revelada, acabou sendo presa em flagrante pelos federais. Durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão, ela tentou destruir um celular que já estava em posse dos policiais, para tentar impedir o acesso às provas.

Todo o material apreendido será encaminhado para a perícia da PF, que irá responsabilizar criminalmente todos os envolvidos pelas práticas criminosas.

Investigações

As facções escolhem seus representantes e por meio da desinformação eleitoral, ou seja, por meio de Fake News, começavam a atuar para ‘fomentar o candidato (a)’.

As investigações apontam ainda que os criminosos davam ‘salves’ em aplicativos nas redes sociais após a escolha dos candidatos por meio de enquetes. Financiavam e patrocinavam os políticos para que eles fossem eleitos.

Além disso, a investigação apontou que existe um inconformismo dos suspeitos a respeito da atuação das forças policiais na região do Vale do Araguaia na repressão de grupos criminosos organizados.

Denúncias

Polícia Federal ressaltou ainda que os eleitores podem e devem denunciar qualquer pessoa ou facção criminosa que imponha qualquer conduta de ameaça e violência para a prestação de contas do voto.

O voto é secreto conforme prevê a Constituição Federal. Então, qualquer conduta dessa natureza deve ser comunicada aos órgãos de controle e fiscalização eleitoral.