Sexta-feira, 24 de Maio de 2024

POLÍTICA Quarta-feira, 21 de Dezembro de 2022, 14:13 - A | A

Quarta-feira, 21 de Dezembro de 2022, 14h:13 - A | A

PEC DOS GASTOS

Deputados da bancada de MT e da base de Bolsonaro votam contra PEC que permite Bolsa Família de R$ 600

Da Redação do O Bom da Notícia /Com Assessoria

Os deputados estaduais Dr. Leonardo (Republicanos), José Medeiros (PL) e Nelson Barbudo (PL) votaram contra o texto-base da Proposta de Emenda Constitucional que amplia o teto de gastos e libera orçamento para que o governo eleito continue o pagamento de R$ 600 do Bolsa Família no próximo ano.

Em contrapartida os parlamentares Carlos Bezerra (MDB), Emanuelzinho (MDB), Juarez Costa (MDB), Neri Geller (PP) e Rosa Neide (PT) votaram a favor da PEC, que já foi aprovada no Senado. 

Nos bastidores, alguns deputados entendem que o presidente Lula, supostamente, poderá - quando quiser aprovar algo do seu interesse -, destinar emendas para partidos e deputados que não são da base, via relator-geral, utilizando o orçamento como barganha política, para captar votos em favor de seus projetos políticos em trâmite no Congresso Nacional.

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (20), em 1º turno, por 331 votos a favor e 168 contra, o texto-base da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) chamada de PEC da Transição.

O texto amplia o teto de gastos e, com isso, libera orçamento para que o governo eleito continue o pagamento de R$600 do Bolsa Família no ano que vem.

O novo texto amplia o teto de gastos em R$ 145 bilhões por um ano, para o governo manter o pagamento do Bolsa Família em R$ 600 e permitir o adicional de R$ 150 por família com criança de até 6 anos.