Sábado, 25 de Maio de 2024

POLÍTICA Terça-feira, 16 de Abril de 2024, 16:48 - A | A

Terça-feira, 16 de Abril de 2024, 16h:48 - A | A

“SEM EIRA E NEM BEIRA”

Emanuel Pinheiro pode recorrer à Justiça contra Comissão Processante na Câmara de Vereadores

Evelyn Siqueira/ O Bom da Notícia

À Rádio CBN Cuiabá nesta segunda-feira (15), o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) voltou a afirmar que a Comissão Processante instaurada na Câmara Municipal de Cuiabá contra ele tem cunho eleitoral, mas que não estaria preocupado já que o intuito da comissão é ‘tirar’ sua elegibilidade, ainda que esteja no seu segundo mandato e, assim, não possa disputar mais uma outra eleição ao cargo. 

“Há, principalmente, por parte da oposição existe uma exploração eleitoreira, pois é ano eleitoral. Então querem de toda forma jogar a população contra o prefeito Emanuel Pinheiro. Querem tirar o potencial político do prefeito, mas eu já disse que não estou preocupado com isso, pois não estou candidato e nem posso mais ser candidato. Já fui reeleito com a graça de Deus e com o apoio do povo cuiabano e nãp posso buscar uma nova eleição ao cargo, assim, meu foco é Cuiabá e a minha gestão. E todos os compromissos que eu fiz com a população vou entregá-los!”, disse

Ainda conforme Emanuel, a Processante está cheia de vícios e não contém mérito para sua existência. Assim, o prefeito emedebista não descarta recorrer judicialmente contra ela, ao asseverar que sua equipe jurídica já estaria analisando esta alternativa. 

“Esses processos são sem eira e nem beira(expressão que pode significar não tem onde cair morto, ou sem nexo). E para ser bem prático e objetivo, todos esses pedidos estão cheios de vícios, não vou nem falar dos vícios vou falar do  mérito da denúncia para criar a Comissão Processante. ela está toda errada, porque foi baseada em uma denúncia que não aguentou três dias em Brasília, que foi revogada e todas as medidas suspensas perante o Superior Tribunal de Justiça. Então se preciso for, ainda estou conversando com os advogados, mas nada melhor do que ir na justiça procurar meus direitos”, ainda pontuou.