Sexta-feira, 24 de Maio de 2024

POLÍTICA Terça-feira, 23 de Janeiro de 2024, 15:09 - A | A

Terça-feira, 23 de Janeiro de 2024, 15h:09 - A | A

CAMINHO REAL

Rota turística de MT que liga Araguaiana a Cuiabá agora está protegida por lei

Da Redação do Bom da Notícia com Assessoria

Preservar e valorizar o Caminho da Estrada Real, rota turística de Mato Grosso que liga Araguaiana a Cuiabá, agora é lei.

Proposta pelos deputados Beto Dois a Um e Dr. Eugênio, ambos do PSB, a lei 12.399/2024 estabelece medidas para salvaguardar o trecho de pouco mais de 1800 km, garantindo sua conservação, proteção e acesso público adequado.

“Além de ser um trecho com paisagens deslumbrantes, é uma rota estratégica e turística que atravessa vários municípios importantes de Mato Grosso. Considerando o valor histórico, cultural e turístico do Caminho da Estrada Real, temos agora garantidas por lei a preservação e promoção desse importante patrimônio brasileiro que passa por Mato Grosso”, destaca o deputado Beto Dois a Um.

A rota em questão, que liga Araguaiana a Cuiabá, passa pelos municípios de Barra do Garças, General Carneiro, Tesouro, Poxoréo, Primavera do Leste, Dom Aquino, Jaciara, Campo Verde e Chapada dos Guimarães.

“Ao reconhecer a relevância desse patrimônio histórico, vamos fomentar sua utilização como recurso turístico e educativo, promovendo o desenvolvimento sustentável das regiões por onde a Estrada Real passa”, explica Beto.

Ainda de acordo com o parlamentar, a implementação de políticas de preservação e promoção do Caminho da Estrada Real contribuirá para o fortalecimento da identidade cultural das comunidades locais, vai estimular o turismo responsável e criar oportunidades de geração de emprego e renda para as regiões envolvidas.

“Ações como sinalização adequada, a criação de centros de visitantes, a capacitação de guias turísticos e a promoção de eventos culturais e educativos, assim será possível explorar todo o potencial desse importante monumento estadual. Além disso, a proteção e valorização do trecho são fundamentais para a preservação da memória coletiva, contribuindo para a construção de uma sociedade mais consciente da sua história e patrimônio”, assinala.