Quinta-feira, 23 de Maio de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 29 de Dezembro de 2022, 09:13 - A | A

Quinta-feira, 29 de Dezembro de 2022, 09h:13 - A | A

VEJA VÍDEO

Votação sobre taxa do lixo resulta em bate-boca entre Vidal e Maysa Leão; prefeito ganha nova queda de braço

Luciana Nunes/ O Bom da Notícia

Por 14 a 8, a Câmara Municipal de Cuiabá aprovou, na sessão extraordinária desta quarta-feira, 28 de dezembro, o projeto de lei complementar que cria a taxa de coleta de lixo. O assunto foi bastante debatido neste ano, principalmente, sobre a sua obrigatoriedade. O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) tentou aprovar a matéria no ano passado, mas não conseguiu número de votos necessários para implementar a cobrança.

Por não concordar com o posicionamento da oposição, o vereador da base Sargento Vidal (MDB) chamou a vereadora Maysa Leão e os pessoas que acompanhavam a votação na galeria de 'mentirosos'. 

"A senhora está mentindo nessa casa vereadora Maysa, eu estive lá no Eco Parque Pantanal, fica na no cinturão verde, É algo fantástico lá já está recebendo 40% do lixo de Cuiabá e o lixão em seis meses não existirá mais [..] O povo gosta de quem mente o povo aplaude quem mente e não quem fala a verdade", disse Vidal olhando para a galeria.

Ao ser citada, Maysa pediu o direito de resposta e criticou a postura do colega e disse que não aceita ser chamada de mentirosa. 

“Eu acho extremamente nocivo e lamentável o comportamento do vereador Sargento Vidal que nitidamente não tem argumento para defender seu voto está desesperado e me chamou de mentirosa. Mentiroso é ele que se quer representa as pessoas aos quais ele está dizendo que estão felizes", disse Maysa. 

Maysa ainda saiu em defesa das pessoas que estavam na galeria e também foram chamadas de mentirosas. Na ocasião a vereadora ainda disse que o colega está desesperado. 

"Eu nunca faltei com respeito com o colega, jamais vou permitir que a minha opinião sobre o que eu penso sobre o Sargento Vidal, que se eu falasse seria difícil a convivência porque eu ia dizer coisas que ele não ia gostar, mas essa não é minha atribuição como vereadora, então eu não aceito ser chamada de mentirosa. Eu falei a verdade ele não tem argumentos está desesperado, ele que vote sim e arque com as consequências do voto dele. Eu voto não irei arcar com as consequências no meu voto. O que ele fez aqui foi simplesmente um escárnio, chamar população que está lá em cima de mentirosa", completou. 

Em seguida o bate-boca entre os dois foi encerrado e a matéria foi votada. 

Conforme emenda aprovada, as residências que recebem a coleta três vezes na semana, o valor a ser pago pelo morador será de R$ 10,60 já para os que contam com seis coletas semanais, o valor cobrado será de R$ 21,20.

Além disso, ficou estabelecido que as famílias de baixa renda, que já são cadastradas pelo município, estarão isentas ao pagamento.

Veja o placar da votação:

Sim

Adevair Cabral (PTB)

Chico 2000 (PL)

Dídimo Vovô (PSB)

Dr Ricardo Saad (PSDB)

Edna Sampaio (PT)

Lilo Pinheiro (PDT)

Marcrean Santos (PP)

Marcus Brito Júnior (PV)

Pastor Jeferson (PSD)

Paulo Henrique (PV)

Professor Mário Nadaf (PV)

Rodrigo Arruda e Sá (Cidadania)

Sargento Vidal (MDB)

Wilson Kero Kero (Podemos) 

Não

Diego Guimarães (Republicanos)

Dilemário Alencar (Podemos)

Demilson Nogueira (PP)

Eduardo Magalhães (Republicanos)

Kássio Coelho (Patriota)

Maysa Leão (Republicanos)

Michelly Alencar (União)

Sargento Joelson (PSB)

Ausentes

Cezinha Nascimento (União)

Dr Luiz Fernando (Republicanos) 

O presidente da Câmara, vereador Juca do Guaraná Filho (MDB), não votou.