icon Terça-feira, 20 de Agosto de 2019

O BOOM DA NOTÍCIA - A | + A

13 ANOS 10.08.2019 | 10h:55

Maria da Penha é homenageada com Título de Cidadã Cuiabana

Por: O Bom da Notícia

Assessoria

Assessoria

A Câmara Municipal aprovou por unanimidade Projeto de Decreto Legislativo nº 529/2019 de autoria do vereador Dilemário Alencar (Pros) que concedeu o Título de Cidadã Cuiabana a cearense Maria da Penha Maia Fernandes.

 

A justificativa foi que a homenageada é uma importante protagonista da Lei nº 11.340/2006, na qual leva o nome dela, ficando conhecida nacionalmente como Lei Maria da Penha, onde tem ajudado a punir homens que cometem agressões contra a mulher. A Lei Maria da Penha é considerada a terceira melhor lei do mundo no combate à violência doméstica.

 

Leia também - Lei Maria da Penha completa 13 anos e violência está longe de fim

 

O Titulo de Cidadã Cuiabana foi entregue durante a realização do Colóquio: Lei Maria da Penha, 13 Anos de Luta Pelas Mulheres, realizado nesta sexta-feira (09), pelo Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso.

 

“Foi uma grande satisfação entregar a honraria do Título de Cidadã Cuiabana a Maria da Penha, cuja história de sofrimento e luta inspirou na aprovação da lei mais conhecida do Brasil. Neste ano a Lei Maria da Penha está completando 13 anos, onde se tornou um marco na proteção das mulheres acometidas pela violência. Esse título é uma forma de apontarmos que o povo de Cuiabá apoia toda a luta contra a violência doméstica e o feminicídio. É uma forma também de agradecer a Maria da Penha pelo seu intenso trabalho em prestar auxílio a todas as mulheres brasileiras que precisem de orientação e proteção”, disse o vereador Dilemário.

 

História da homenageada

 

Maria da Penha conheceu o marido, um professor de economia colombiano, Marco Antônio Heredia Viveros, logo depois de concluir o mestrado em parasitologia. As agressões dele contra ela começaram por volta do quarto ano de casamento.

 

No início, a violência era psicológica e verbal, do tipo que causa desvalorização da pessoa. Em 1983, o marido, tentou matá-la duas vezes. Na primeira vez atirou simulando um assalto, na segunda tentou eletrocutá-la.

 

Por conta das agressões sofridas, Maria da Penha ficou paraplégica. Dezenove anos depois, seu agressor foi condenado a oito anos de prisão. Por meio de recursos jurídicos, ficou preso por dois anos. Solto em 2004, hoje está livre.

 

Leia também - Defensora diz que lei quebrou paradigmas e deu à mulher ferramenta de defesa

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

CONFIRA TAMBÉM NESTA SEÇÃO:































PROGRAMA TRIBUNA VEJA MAIS

O Bom da Notícia Programa Tribuna - 16/07/2019

INFORME PUBLICITÁRIO


INFORME PUBLICITÁRIO





icon COTAÇÕES MT
Milho Disponível R$/sc 21,70
Algodão R$/@ 90,09
Boi a Vista R$/@ 135,00
Soja Disponível R$/sc 57,00
Fonte: Imea







logo O bom da notícia

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte;

Copyright © 2018 - O Bom da Notícia - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet