Terça-feira, 28 de Maio de 2024

ESPORTES Domingo, 20 de Novembro de 2022, 21:01 - A | A

Domingo, 20 de Novembro de 2022, 21h:01 - A | A

Equador vence o Catar e é a 1ª seleção a derrotar um anfitrião na estreia na Copa

Esportes

Pela primeira vez na história da Copa do Mundo FIFA, uma seleção anfitriã foi derrotada em sua partida de estreia na competição. E o responsável por dar ao Catar esse triste registro foi Enner Valencia.

O atacante marcou os dois gols da vitória por 2 a 0 dos sul-americanos sobre a equipe da casa, neste domingo, no estádio Al Bayt, em Al Khor, no jogo que abriu o Grupo A e o Mundial como um todo.

Com o resultado, os equatorianos largam na frente na corrida pela classificação às oitavas de final. Eles voltam a campo na sexta-feira, contra a Holanda, em jogo que até já pode lhes dar a vaga na próxima fase. No mesmo dia, o Catar terá um confronto decisivo frente ao Senegal.

Momento-chave

A vitória equatoriana começou a ser construída aos 16 minutos do primeiro tempo, quando Enner Valencia recebeu um passe em profundidade e foi derrubado pelo goleiro Saad Alsheeb. Após perceber que não haveria vantagem no jogo, o árbitro Daniele Orsato assinalou pênalti, que o próprio capitão tratou de transformar em gol.

Com vantagem no placar, o time dirigido pelo técnico Gustavo Alfaro teve tranquilidade para controlar o jogo e chegou ao segundo gol com um cruzamento perfeito para cabeçada do atacante do Fenerbahce.

Número

Craque do jogo

Capitão da seleção equatoriana, Enner Valencia foi a “cara” do jogo de abertura do Mundial. O veterano de 33 anos anotou três gols, mas apenas dois foram validados. No primeiro, anotado logo aos 3 minutos da primeira etapa, foi anotado impedimento na origem da jogada.

O que os treinadores disseram:

“Ele é o maior artilheiro da história do Equador, mas está passando por momentos difíceis e foi questionado algumas vezes no país. Por isso, os gols que marcaram significam muito para ele.” Gustavo Alfaro, técnico do Equador, sobre Enner Valencia.

“Temos muito a evoluir. Não é hora de desculpas, começou mal o torneio. O nervoso e o psicológico nos pegaram de jeito.” Félix Sánchez, técnico do Catar

Fonte: Agência Esporte