Sábado, 25 de Maio de 2024

POLÍTICA Terça-feira, 20 de Dezembro de 2022, 11:38 - A | A

Terça-feira, 20 de Dezembro de 2022, 11h:38 - A | A

EM 2023

Com novo aval do STF, Botelho não descarta disputa à presidência da Assembleia, mas evita polemizar

Luciana Nunes/ O Bom da Notícia

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Eduardo Botelho (UB), deixou nas entrelinhas que irá disputar a Mesa Diretora da Casa, em 2023, após nova decisão, concedida no Paraná, quando os ministros do Supremo Tribunal Federal entenderam que a proibição de reeleição se inicia a partir de janeiro de 2021 e que todas eleições anteriores não serão contabilizadas.

Sob esta recomendação, Botelho estaria apto a disputar a reeleição para o biênio (2023/2024). Já o presidente da Assembleia, evitando polemizar o tema, por conta do acirramento das discussões ao entorno da disputa, apenas disse à jornallistas que não descarta colocar seu nome na disputa. Após, claro, ser novamente questionado pelos jornalistas, desta vez nesta última segunda-feira (19).

"É bem possível, de zero a 10, a possibilidade é 10 de participar da disputa", disse Botelho em tom descontraído. 

Eduardo Botelho está à frente da presidência da AL desde 2017, e esta seria a quarta vez que o parlamentar disputaria a vaga. 

Em 2021, Botelho disputou o cargo pela terceira vez. Porém, teve a reeleição suspensa por uma medida cautelar, derrubada em fevereiro deste ano pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou a recondução imediata do parlamentar à Mesa Diretora da casa, que até então vinha sendo presidida pelo deputado Estadual Max Russi (PSB).

Max continua 

O primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, Max Russi (PSB), disse que mesmo diante de um possível novo entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) que pode colocar o atual presidente da Casa, deputado Eduardo Botelho (União) na disputa à Mesa Diretora,  em 2023, ele não recua de sua candidatura para presidir a AL e mantém seu nome como candidato.

“Isso não muda nada eu mantenho a minha candidatura […] Sobre isso a gente não conversou ainda, eu não conheço que exista essa nova interpretação, discussões jurídicas né? O que eu posso afirmar que eu sou candidato à presidência, eu vou continuar com a minha candidatura”, disse. 

Recentemente, Russi disse aos jornalistas que já conta com apoio de 15 colegas para comandar a casa no ano que vem. E mais recentemente ainda chamou para ser seu vice, o deputado eleito e ex-governador de Mato Grosso, Júlio Campos(UB).