Terça-feira, 28 de Maio de 2024

POLÍTICA Quarta-feira, 28 de Dezembro de 2022, 12:10 - A | A

Quarta-feira, 28 de Dezembro de 2022, 12h:10 - A | A

'CIDADE JOGADA pAS TRAÇAS'

Deputada vê caos instalado e pede 'urgência do Judiciário' em uma intervenção na Prefeitura de Cuiabá

Marisa Batalha/ O Bom da Notícia

 

A deputada emedebista Janaina Riva foi desta vez mais severa em suas críticas contra Emanuel Pinheiro (ambos do MDB), ao pedir que o Poder Judiciário peça, com urgência, intervenção na administração do prefeito de Cuiabá.

Ao lembrar que tem acompanhado uma série de denúncias de vários médicos, que apontam até mesmo óbitos de pacientes nas unidades de saúde da capital, por falta de medicamentos de baixo custo como, por exemplo, de pressão alta. Fora outros insumos e medicamentos para a realização de intubação de pacientes e remédios para doentes cardíacos.

"Não dá para a gente aceitar que Cuiabá, uma capital esteja assim jogada às traças. E não acho que é uma questão do comando da Secretaria de Saúde de Cuiabá mas, sim, falta de gestão do Emanuel. Infelizmente, o prefeito Emanuel Pinheiro tem deixado muito a desejar".

A declaração da parlamentar emedebista foi feita nesta última terça-feira (27), após reunião realizada no Palácio Paiaguás, ao ser questionada sobre o pedido do Ministério Público de Mato Grosso, que cobrou urgência do governador Mauro Mendes(UB) na análise do pedido de intervenção contra Pinheiro.

E após nova inspeção no Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos de Cuiabá (CDMIC), onde foi constatado 4.386.185 comprimidos vencidos. Com relatório apontando que mais de 2,7 milhões de unidades vencidas são de Cloridrato de Metformina, para tratamento de diabetes e de problemas cardíacos.

A administração de Emanuel Pinheiro já foi alvo de denúncia similar na sua primeira gestão, em abril de 2021, quando um grupo de vereadores de oposição foi até o CDMIC e flagrou centenas de medicamentos vencidos. À época, chegou inclusive ser instalada a CPI dos Remédios Vencidos na Câmara, em paralelo, ocorreu uma ação do Ministério Público Estadual por suposto direcionamento na licitação para a gestão do CDMIC.

Neste período, a empresa Norge Pharma, era responsável pela administração do CDMIC. Quando a situação veio à tona, em agosto de 2021, ocorreu, obviamente, uma onda de escândalos, obrigando a Prefeitura de Cuiabá a rescindir o contrato com a empresa.

Ainda para a deputada, a intervenção não é o 'melhor para o governo, mas é o melhor para Cuiabá'. "Não acho que isso seja o melhor para o governo, mas é o melhor para Cuiabá. Eu sou a favor do pedido de intervenção e acho que essa decisão deveria ser tomada o mais urgente possível",

Ao pontuar que tem visto o prefeito emedebista preocupando em se manter na prefeitura, contudo, esquecendo de questões básicas como cuidar do cidadão.

'O que está acontecendo é uma situação drástica, que é muito ruim. Eu vi deputados falando na Assembleia, dizendo: olha a gente tem tanta coisa para se preocupar no Estado e ainda tem que discutir Cuiabá". 

Veja vídeo