Segunda-feira, 20 de Maio de 2024

POLÍTICA Terça-feira, 06 de Dezembro de 2022, 15:47 - A | A

Terça-feira, 06 de Dezembro de 2022, 15h:47 - A | A

XADREZ POLÍTICO

Diego e Júlio entram no páreo e podem fragilizar pretensão de Max Russi na disputa à presidência da AL

Marisa Batalha/ O Bom da Notícia

Decisão do Supremo Tribunal Federal - que impediu o deputado estadual, reeleito, Eduardo Botelho(UB), de disputar novamente a presidência da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa -, e o desalinhamento da chapa composta, igualmente, pelo parlamentar Max Russi(PSB) que, em tese, deverá substituir o colega de Casa, no cargo, está abrindo brecha para que dois dos seis novatos eleitos neste último pleito de outubro busquem construir grupos para disputar o comando do Legislativo estadual.

Depois de Júlio Campos(UB) que há poucos dias mostrou disposição de liderar grupo composto por oito deputados, para concorrer à presidência, surge agora o nome de Diego Guimarães (Republicanos).

À jornalistas, o vereador que se elegeu com 25.907 votos, garantindo uma das 24 vagas da Assembleia, vêm mostrando sua disposição de disputar a presidência. Já tendo, inclusive, externado seu desejo ao deputado Max Russi, que figura como favorito na disputa. "Deixo meu nome a disposição, inclusive, todos aqueles que veem pedir votos pra mim eu falo: por que não Diego? Vamos conversar. Temos que deixar o nome a disposição e discutir. Todos ali são deputados".

Bacharel em Direito, Diego Guimarães foi eleito vereador por Cuiabá em 2020. Ele iniciou a carreira política no Centro Acadêmico VIII de Abril, do curso de Direito da UFMT. Participou da Associação Política Jovem, entidade que tem o principal objetivo de oferecer formação política e desenvolver atividades de integração social na capital.

Ex-governador no páreo

Na semana passada, o ex-governador de Mato Grosso e, igualmente, deputado estadual eleito, Júlio Campos, já havia dito à alguns repórteres que mesmo não sendo o seu projeto, não descartava concorrer à eleição para a presidência da Assembleia em 2023.

O nome de Júlio surgiu como uma opção para concorrer com o candidato Max Russi (PSB), mostrando que o atual primeiro-secretário precisa garantir uma articulação mais fortalecida e, assim, não ser surpreendido. Ainda que a tendência é que se repita a dobradinha Max na presidência e Botelho na primeira secretaria, invertendo os cargos.

“Meu nome como uma possível opção para presidência da assembleia legislativa, não é meu pensamento, não é minha pretensão. Bom, a gente tá na Casa, lá vamos ouvir a pretensão dos companheiros. Está se formando um grupo com oito parlamentares pensando na formatação de uma chapa, então vamos aguardar" diz Júlio.

Em meio a este cenário, o deputado estadual Max Russi assegura que 15 deputados estariam fechados com ele. O que, claro, derrubaria a pretensão dos dois novos parlamentares.