Sábado, 20 de Julho de 2024

POLÍTICA Domingo, 26 de Fevereiro de 2023, 12:28 - A | A

Domingo, 26 de Fevereiro de 2023, 12h:28 - A | A

DURANTE DEBATE

Medeiros condena uso político de chacina e defende CACs

O Bom da Notícia/ com assessoria

O deputado federal José Medeiros (PL-MT) teceu duras críticas ao PT e PSOL por usarem o assassinato de sete pessoas no município de Sinop, no último dia 21 de fevereiro, para criminalizar a posse legal de armas no país e responsabilizar o ex-presidente Jair Bolsonaro pelos crimes. Para ele, o uso político da chacina pelo Governo Federal e seus aliados é um desrespeito às vítimas e seus familiares e uma demonstração clara de um fanatismo ideológico da esquerda que chegou ao ponto de mencionar que o crime foi praticado por bolsonaristas.

“A legislação brasileira é uma das mais draconianas em relação a armamento e o Brasil tem um controle muito sério. Não é verdade que mais armas trazem mais violência, isso é de cada pessoa. Eu trabalhei com arma a vida inteira, como policial rodoviário federal, e estou do lado ideológico do Bolsonaro. Isso significa vou assinar pessoas?”, afirmou Medeiros durante debate com o deputado federal Guilherme Boulos (PSOL-SP), neste sábado (25), na CNN Brasil.

A tentativa do deputado Boulos e até do ministro da Justiça e Segurança Pública, Flavio Dino, de demonizar os Colecionadores, Atiradores Esportivos e Caçadores (CACs) ao relacioná-los a tragédia de Sinop foi duramente criticada pelo deputado José Medeiros.

“Gostaria de fazer um debate que não demonize categorias e pessoas que não estão nessa discussão da seara política. Para que alguém se torne CAC demora quase dois anos e o registro é feito pelo Exército”, destacou o deputado federal. Ele ressaltou ainda, que as vítimas e familiares da tragédia de Sinop precisam de respeito e justiça.

Ao questionar as inverdades divulgadas pelos aliados de Lula ao associar o acesso a armas ao crescimento da violência, Medeiros afirma que os parlamentares de oposição ao atual governo vão fazer o enfrentamento necessário para garantir os avanços conquistados na gestão Bolsonaro e impedir que que o revogaço do Lula impeça o acesso da população a armas.

“A revogação de decretos sobre o acesso a armas é uma questão eleitoral do PT”, frisa o parlamentar mato-grossense. Ele acrescenta ainda, que existem países que possuem legislações mais flexíveis na posse de armas que reduziram os índices de violências.

“É uma falácia afirmar que os índices de violência aumentam com a flexibilização do acesso a armas. Existem vários exemplos de redução. Cada caso é um caso. Por exemplo, nos últimos quatro anos o Brasil registrou as menores taxas de homicídios em 26 anos. Em 2019 e 2020, no governo Bolsonaro, as taxas de homicídios por 100 habitantes foram as menores desde 1993, com quedas recordes”.

Diante dos ataques do deputado federal Boulos aos bolsonaristas e militantes de direita, Medeiros disse que o parlamentar do PSOL é conhecido por incitar atos golpistas e de extrema violência.

De acordo com Medeiros, Boulos deveria estar preso por apoiar e incentivar os protestos violentos de maio de 2020.

Em 2017, Guilherme Boulos foi detido em São Paulo acusado de desobediência civil e incitação à violência enquanto acompanhava uma reintegração de posse de ocupação na zona leste de São Paulo.