Sábado, 25 de Maio de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 01 de Dezembro de 2022, 15:38 - A | A

Quinta-feira, 01 de Dezembro de 2022, 15h:38 - A | A

QUEDA DE BRAÇO

Mendes diz que não passará recursos à Prefeitura de Cuiabá para asfaltar 11 bairros, pois Estado quer realizar a ação

Luciana Nunes/ O Bom da Notícia

"Isso não vai acontecer", respondeu o governador Mauro Mendes (UB), ao negar o pedido do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), de repassar quase R$ 50 milhões à prefeitura para fazer o asfaltamento em 11 bairros da Capital, como única  condição de  que os bairros sejam pavimentados. Assim, a capital realiza a ação e, claro, evita que as obras sejam feitas pelo governo.

Ao ainda lembrar que a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) notificou a Prefeitura de Cuiabá para que emita a autorização de início das obras de asfaltamento dos bairros, em um prazo de 10 dias. Caso a prefeitura não se manifeste, o valor será revertido em obras para os municípios da baixada cuiabana.

A notificação protocolada nesta terça-feira (29) é o quarto documento enviado pela Sinfra, na tentativa de dar início às obras

"Nada acrescentar além daquilo que o Marcelo colocou na carta. Governo recebeu o projeto da prefeitura, analisou e devolveu. Tinha alguns problemas, corrigiu e devolveu. Este ir e vir durou alguns meses até que o projeto foi aprovado. Aprovou projeto, o governo licitou as obras mas para começar precisa da autorização da prefeitura e ele não quis dar", disse o governador. 

Entenda o caso

A prefeitura apresentou o pedido para uma parceria e protocolou o termo de doação do projeto. Após cinco pedidos de adequações realizados pela Sinfra-MT, todos atendidos pela Prefeitura, o projeto foi aprovado.

Como a prefeitura estava negativada, sem certidões para firmar convênios com o Estado em junho deste ano, o governador Mauro Mendes determinou que as obras fossem licitadas pela Sinfra-MT, para que a população não fosse prejudicada.  

Após a realização da licitação, a Prefeitura alegou que as obras somente teriam início com a autorização do município. Fato que não aconteceu até a presente data.