Sábado, 25 de Maio de 2024

SAÚDE & BEM ESTAR Quinta-feira, 10 de Novembro de 2022, 13:31 - A | A

Quinta-feira, 10 de Novembro de 2022, 13h:31 - A | A

Adultos acima dos 50 são mais resistentes a tomar vacinas, diz estudo

Saúde

Adultos acima dos 50 anos são mais resistentes a se vacinarem, aponta estudo
Pixabay

Adultos acima dos 50 anos são mais resistentes a se vacinarem, aponta estudo

Um estudo encomendado pela Kantar IBOPE Media em parceria com a farmacêutica GSK  mostrou que pessoas com mais de 50 anos, mesmo que sejam preocupadas com a saúde , nem sempre procuram as vacinas disponíveis no sistema de saúde para se proteger contra doenças imunopreveníveis .

Os especialistas ouviram 9.902 adultos com mais de 50 anos, de países como Brasil, Reino Unido, Estados Unidos, Itália, Espanha, Alemanha, França, Canadá e Japão.

Segundo a pesquisa, 88% dos entrevistados receberam ao menos uma dose do imunizante contra a covid-19. Esse número cai substancialmente quando se trata de outras doenças - por exemplo, somente 56% receberam a vacina da gripe alguma vez nos 5 anos anteriores.

Já em relação à vacina contra a pneumonia, a porcentagem dos entrevistados foi de apenas 14%. A do herpes zoster alcança um número ainda menor, de apenas 10%.

Apesar da questão das vacinas, 81% dos entrevistados disseram ter realizado check-up de rotina nos últimos 5 anos. No Brasil, esse percentual foi ainda maior, e chegou a 89%.

O estudo também fez apontamentos sobre a atuação de profissionais da saúde na conscientização sobre os imunizantes. 71% dos entrevistados consideram esses profissionais uma fonte-chave de informação.

Com isso, a equipe também ouviu 685 profissionais de saúde desses mesmos países. Dentre esses profissionais, 72% afirmam que costumam dizer aos seus pacientes que eles estão na faixa etária recomendada para uma vacina, e 74% alertam sobre os riscos aumentados de doenças infecciosas por conta da faixa etária.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG SAÚDE