Terça-feira, 23 de Julho de 2024

O BOM DA VIDA Sexta-feira, 09 de Junho de 2023, 17:45 - A | A

Sexta-feira, 09 de Junho de 2023, 17h:45 - A | A

FOCO NO FUTURO

De trufa em trufa, casal conquista sonho da casa própria

Namorados produzem e vendem docinhos para complementar renda e pagar parcela de apartamento; confira os detalhes dessa história a dois inspiradora

Da Redação do O Bom da Notícia/Com Assessoria

Somos movidos por sonhos e conquistá-los nem sempre é uma caminhada fácil. Aos 18 anos, Carla Cristina estava decidida a cumprir uma lista de metas em 7 anos. Atualmente, com 25 anos, atingiu quase todos os objetivos traçados: tirou a carteira de habilitação, concluiu a faculdade em Secretariado Executivo e emendou, com sucesso, na pós-graduação em Gestão Pública. Apenas um tópico ficou pendente, o mais desafiador. Ela pretende conquistar até o final do ano a casa própria.

Foi por meio da indicação de uma amiga, pelo Instagram, que Carla e seu namorado, Cleyton Brugnoli, 34, decidiram por um passo ousado: mesmo com pouca grana, encarar a parcela do primeiro apartamento. O frio na barriga veio acompanhado da determinação. Trabalhando como vendedora em uma distribuidora de alimentos e com Cleyton pagando as parcelas de sua motocicleta, precisaram pensar em alternativas de renda extra para conseguirem dar a entrada no apartamento. Foi quando surgiu a ideia de produzir e vender trufas.

Sem pensar duas vezes, Carla pediu apoio aos pais, Cristina Marcelina e Carlos Antônio, que auxiliaram com a matéria-prima da primeira remessa. Donos de uma oficina mecânica, que funciona de domingo a domingo, nunca mediram esforços para apoiar a filha. “Papai que me ensinou a trabalhar assim e os dois sempre me mostraram que tudo pode ser conquistado com trabalho duro. Não temos tempo ruim, só muita força de vontade”, conta.

Com o contrato de compra de uma das unidades do Condomínio Chapada dos Bosques, empreendimento da MRV, em Várzea Grande, assinado, o casal acorda cedo aos domingos para produzir, em média, 240 trufas. Essa renda extra é reservada para pagar a parcela mensal de pouco mais de R$ 1.300, correspondente ao parcelamento da entrada e taxa de construção. Ao final de 11 horas de produção, ambos se preparam para as vendas da semana e cada um fica responsável por comercializar, em média, 15 unidades por dia. Os docinhos são comprados, em maioria, por colegas de trabalho. "Acordo todos os dias às 4h da manhã para trabalhar e volto para casa às 20h. O único dia que seria de descanso, estamos trabalhando para conquistar o nosso lar. Não é fácil, é muito cansativo, mas estamos determinados em levar as vendas à frente”.

Doce futuro - Parceiros de confeitaria e de vida, eles contam que estão ansiosos para pegar as chaves do apartamento e embarcarem em uma nova jornada, o casamento. A meta estipulada pelo casal, que no mês de maio deste ano, completou três anos de relacionamento, está cada vez mais próxima. Com o apoio da família, ambos têm certeza de que o companheirismo é a chave do relacionamento, e enxergam, animados, o início de uma nova jornada. “Somos uma equipe, e eu sei que de trufa em trufa estamos cada vez mais perto de realizar nossos sonhos”.

O corretor, Álvaro Rondon, responsável por reacender o sonho no coração do casal, acompanhou de perto a decisão corajosa. “Quando apresentei as opções de financiamento, a Carla sabia que seria um desafio, mas eu só a ouvi dizer que daria um jeito. Fiquei inspirado pela determinação dela”

O caminho do sonho já teve algumas pedras de amargor. Eles lembram que chegaram a negociar imóveis cuja parcela não cabia no bolso, incompatíveis com o orçamento do casal, e não deixaram de sentir insegurança. “Todos duvidaram, mas eu não. Me chamaram de teimosa, já eu chamo de persistência. Estava focada em conquistar nosso apartamento”.