Quinta-feira, 20 de Junho de 2024

POLÍTICA Sexta-feira, 24 de Maio de 2024, 17:03 - A | A

Sexta-feira, 24 de Maio de 2024, 17h:03 - A | A

MUTIRÃO DE CIRURGIAS

Emanuel Pinheiro mente para não pagar emendas, acusa o vereador Dr. Luiz Fernando

Da Redação do Bom da Notícia com Assessoria

Os 8 mil pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) que seriam beneficiados com o mutirão de cirurgias eletivas em Cuiabá foram completamente abandonados pela gestão do prefeito Emanuel Pinheiro, acusa o vereador Dr. Luiz Fernando (UB).  

“Prometendo uma administração humanizada, o prefeito do paletó", debocha dos cuiabanos ao ignorar as necessidades urgentes da população ao inventar razões absurdas para dar calote das emendas impositivas que totalizam 30 milhões de reais, transferindo a culpa para o governo de Mato Grosso. Ele alega que 60 milhões em emendas, garantidas pelo deputado federal Emanuelzinho, não foram repassadas ao município por pura maldade do Estado. Entretanto, essa justificativa é inválida, uma vez que os 30 milhões já estão previstos no orçamento municipal e não dependem do pagamento das emendas federais. O pagamento da emenda municipal não está condicionado ao recebimento de emenda de outra esfera”, defende.  

Ainda segundo o vereador, o prefeito com tal atitude demonstra que nunca teve intenção de pagar as emendas para as cirurgias eletivas.  

“O pacote mensal de mil cirurgias eletivas custa em média R$ 1,5 milhão de reais. Até dezembro de 2024, seriam necessários R$10,5 milhões para cobrir as 8 mil cirurgias prometidas, valor bem abaixo do montante previsto nas emendas municipais de R$ 30 milhões. Ou seja, a Câmara através das emendas dos vereadores atenderia paciente de Cuiabá e do interior”, explica.  

O vereador ainda calcula que se o mutirão de cirurgia tivesse iniciado no dia 15 de maio, até a presente data, 400 pacientes na fila de espera já teriam sido atendidos.  

“O planejamento incluiria em média a realização de 50 cirurgias ao dia, sendo de baixa e média complexidades. Me coloco no lugar de quem deixa de receber a cirurgia, é terrível. A ineficiência da gestão é evidente, pois, mesmo que os recursos fossem liberados neste mês, não haveria tempo hábil para a aplicação total até o final do ano. Essa falta de planejamento e comprometimento com a saúde pública deixa claro que o prefeito nunca teve a intenção real de pagar essas emendas e realizar as cirurgias eletivas. Os cuiabanos merecem uma administração que priorize suas necessidades e respeite os recursos públicos. A gestão de Emanuel Pinheiro, marcada por corrupção e incompetência, falha em fornecer os serviços básicos de saúde, deixando milhares de pacientes do SUS sem a assistência necessária e prometida”, lamenta.