Quinta-feira, 18 de Julho de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 15 de Junho de 2023, 12:00 - A | A

Quinta-feira, 15 de Junho de 2023, 12h:00 - A | A

DISPUTA ACIRRADA

Júlio Campos defende candidatura de Botelho à prefeitura e Fábio como sucessor do governador

Evelyn Siqueira/ O Bom da Notícia

Em entrevista à Rádio Cultura FM, nesta quarta-feira (14), o deputado estadual Júlio Campos (União Brasil), voltou a defender a candidatura do presidente da Assembleia Legislativa e colega de sigla, Eduardo Botelho, para a disputa ao comando da Prefeitura de Cuiabá, nas eleiçõesdo ano que vem. 

Apontando a eleição municipal de 2024 como ‘um salve-se quem puder’, Campos enumerou os possíveis candidatos da oposição lembrando, contudo, que seria 'impossível' não reconhecer o poder político do atual gestor do Palácio Alencastro, Emanuel Pinheiro (MDB). 

“Ele[Eduardo Botelho] tem tudo para ser um grande candidato e com muita possibilidade de ganhar a eleição. Volto a repetir minha tese, que é mais fácil unir o partido de corpo e alma para um projeto 2024 e 2026, pois vejo no deputado Botelho um nome mais forte e mais popular, e com mais possibilidade de disputar uma eleição, com sucesso, para prefeito de Cuiabá. Para irmos, inclusive, ao segundo turno, pois a eleição aqui é em dois turnos e temos fortíssimos concorrentes como a figura do Abilinho que é candidato do PL, o Lúdio candidato do PT, — fortíssimo —, e não podemos ainda deixar de reconhecer o poder do Emanuel que mesmo com todo o desgaste que tem ainda possui 20% dos votos cativos de Cuiabá. E o vice-prefeito Stopa que é um homem de bem, que ninguém fala mal e só não está fazendo um bom trabalho porque não está tendo um recurso financeiro, então são três nomes para disputar com um nosso, disponibilizando o total de quatro nomes, ou seja, será um salve-se quem puder”, disse 

Ainda para Júlio se o nome de Botelho tem mais musculatura política, dentro da legenda, para chegar a um segundo turno das eleições na capital, igualmente, deveria ser preparado o deputado federal Fábio Garcia, como um possível sucessor do governador Mauro Mendes (UB) no Palácio Paiaguás, em 2026. Lembrando que dentro deste cenário, claro, estaria também o nome do ministro da Agricultura, Carlos Fávaro (PSD) - na disputa pelo Palácio Paiaguás -, que ganha cada dia mais força no staff do presidente da Repúblic, Luiz Inácio Lula da silva(PT)

“Vejo no Botelho o nome possível para ir para o segundo turno. Então voltamos a minha tese, de que nos preparemos o Fábio para ser o nosso candidato a governador em 2026, pois não se justifica um partido como o União Brasil não ter candidato para daqui a três anos. O governo Mauro Mendes está bem avaliado, mas não podemos descartar o Fávaro que é um candidato forte de oposição, pois se ele trouxer o BID Pantanal ele consegue se viabilizar como um candidato forte na próxima eleição. Ou seja, acredito que o Fábio seria um grande nome para prepararmos para ser governador. Na minha opinião agora seria o momento de eleger Botelho como prefeito e Fábio para governador em 2026”, asseverou