Sábado, 18 de Maio de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 24 de Novembro de 2022, 14:32 - A | A

Quinta-feira, 24 de Novembro de 2022, 14h:32 - A | A

FECHANDO O CERCO

PP e Republicanos rejeitam ação do PL e apontam vitória de Lula como 'incontestável'

O Bom da Notícia/ Com Estadão/Metrópole

(Foto: Ilustração/Web)

LULA - PP E REPUBLICANOS CONTRA PL.png

 

Os presidentes do Republicanos e PP - os deputado Marcos Pereira (SP), e Cláudio Cajado (BA), respectivamente -, afirmaram nesta quinta-feira(24), que os partidos não foram consultados sobre a ação do PL, que pede a anulação de votos de determinadas urnas no segundo turno da eleição presidencial.

As três legendas formaram a coligação para a campanha do atual presidente da República, que perdeu por mais de dois milhões de votos para o petista Luiz Inácio Lula da Silva, no segundo turno das eleições..

O presidente interino do PP, deputado Cláudio Cajado (BA), demonstrou contrariedade às investidas do PL contra as urnas. "Não fui consultado, e eles falavam em nome do PL, e não em nome da coligação", declarou.

Cajado administra interinamente o PP, em substituição a Ciro Nogueira, que atualmente exerce o cargo de ministro da Casa Civil.

Já ao Estadão e ao Metrópoles, o presidente do partido Republicanos, o deputado federal Marcos Pereira, foi mais longe e assegurou que vai recorrer da decisão do Tribunal Superior Eleitoral que bloqueou as contas dos partidos da coligação do presidente Jair Bolsonaro (PL). Após Alexandre de Moraes, presidente do TSE, determinou na quarta-feira (23) o bloqueio das contas até o pagamento de uma multa de R$ 22,9 milhões.

Isso porque o PL, que faz parte da coligação, questionou o resultado das urnas eletrônicas no segundo turno, sem provas

Marcos Pereira alegou que o Republicanos não tem relação com o questionamento que o PL fez às urnas.

"Vamos recorrer. Reconheci o resultado publicamente às 20h28 do dia da eleição".

Vitória de Lula

De fato, na noite de 30 de outubro, Marcos Pereira publicou um texto no Twitter em que comemorou a vitória da eleição de Tarcísio de Freitas (Republicanos) em São Paulo e reconheceu a vitória do ex-presidente Lula, além de parabenizar o resultado de Bolsonaro.

Na ocasião, ele ainda escreveu que o partido ia seguir um caminho de independência.

Para reforçar o posicionamento diferente do PL, Marcos Pereira também enviou para a reportagem um vídeo gravado um dia após o segundo turno, em que ele defende as urnas.

“Não há porque duvidar do resultado das urnas, não há porque questioná-los. Senão nós teríamos que questionar a eleição do Tarcísio, a eleição do senador Mourão, a eleição da senadora Damares, a eleição do nosso governador que foi reeleito em Tocantins”, afirmou, na gravação. (Fonte: Jornal de Brasília)