Segunda-feira, 20 de Maio de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 29 de Fevereiro de 2024, 13:39 - A | A

Quinta-feira, 29 de Fevereiro de 2024, 13h:39 - A | A

CONSCIÊNCIA

Virginia Mendes lamenta desperdício de uniformes escolares

Da Redação do O Bom da Notícia com Assessoria

 

A primeira-dama de MT, Virginia Mendes, comentou em suas plataformas sociais nesta quarta-feira (28/02) sobre o descarte de uniformes escolares que alunos de uma escola da rede estadual fizeram nesta semana. As imagens foram registradas por um motorista e as peças, ainda na embalagem, foram recolhidas.

Virginia Mendes contou que ficou triste com a situação: “Fiquei muito triste ao assistir ao vídeo. Os uniformes são fornecidos gratuitamente e ver esse desperdício é triste e lamentável. Precisamos valorizar os recursos públicos e promover a conscientização sobre a importância da educação e do cuidado com os bens coletivos”.

Somente em investimentos na Educação, com uniformes e kit escolares, o Governo do Estado investiu mais de R$ 116 milhões. Para prevenir que a situação volte a se repetir e para que alunos e familiares valorizem o investimento aplicado por meio de recursos públicos, o governador Mauro Mendes encaminhou um Projeto de Lei que torna obrigatório o uso de uniforme nas escolas estaduais.

“O uniforme escolar é importante por várias razões. Ele promove a igualdade entre os alunos, ajuda a identificar os estudantes da instituição e pode até mesmo promover um senso de comunidade e pertencimento. Além disso, pode contribuir para a segurança, pois facilita a identificação de pessoas estranhas na escola”, argumentou Virginia Mendes.

Uma seguidora comentou: “Na minha época, meus pais compravam os uniformes, e todos os alunos usavam, não era problema algum, muito pelo contrário, tínhamos orgulho. Hoje existe esse investimento, e isso não quer dizer que é de graça, mas é um benefício bem aplicado”, comentou.

Outro seguidor lembrou: “Eu e meu irmão tínhamos que usar o mesmo uniforme, ele usava pela manhã e eu a tarde. Hoje é totalmente diferente”.