Sexta-feira, 12 de Julho de 2024

BRASIL & MUNDO Quinta-feira, 22 de Junho de 2023, 15:03 - A | A

Quinta-feira, 22 de Junho de 2023, 15h:03 - A | A

UFRJ abre inscrições para financiar projetos com ações transformadoras

Educação

Estão abertas até o dia 26 deste mês as inscrições para o Laboratório de Inovação Cidadã 2023 – Ações Transformadoras (Labic), iniciativa da Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O formulário de inscrição pode ser acessado pela internet.

Podem se inscrever projetos, ações, redes, coletivos e organizações de alto impacto social, ligados a propostas de sustentabilidade, transformação social, cidadania, diversidade e ampliação de direitos, sejam projetos iniciantes ou já atuantes.

No dia 14 de julho próximo, serão divulgados os 20 projetos selecionados de todo o estado do Rio de Janeiro, no campo da inovação cidadã, que receberão apoio no valor de R$ 2,5 mil e de R$ 5 mil para desenvolver suas ações. As iniciativas devem ser externas à universidade, e não é necessário que os proponentes tenham formação ou titulação acadêmica.

Os recursos serão pagos no final do laboratório. Eles são provenientes de emendas parlamentares, de projetos especiais junto ao Parque Tecnológico da UFRJ e auxílios de agências de fomento como Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).

Implementação

A pró-reitora de Extensão da UFRJ, Ivana Bentes, explicou nesta quinta-feira (22) à Agência Brasil que os recursos de R$ 2,5 mil serão destinados a projetos que ainda estão no papel e não foram iniciados de fato, enquanto o apoio de R$ 5 mil se destina a projetos já implantados. “O laboratório serve para implementar as ações”, informou. O laboratório será iniciado no dia 1º de setembro, com término previsto em dezembro.

Os projetos devem ser inscritos em variados eixos de ação que envolvem mídia, diversidade e combate à desinformação; tecnologias, redes, dados e plataformas; formação; economia e cidadania, entre outros.

As iniciativas selecionadas participarão de encontros, imersões, oficinas e mentorias para desenvolvimento e construção de redes, ações de mídia, formação, sustentabilidade, políticas culturais, prototipagem e pesquisa aplicada. Os grupos receberão apoio de mentores, professores, empreendedores, estudantes, especialistas e convidados durante o período de realização do laboratório. Todas as atividades são gratuitas. Os encontros serão transmitidos pelo canal do YouTube da Pró-Reitoria de Extensão e do Pontão de Cultura Digital da Escola de comunicação (ECO/UFRJ).

Labics

Ivana informou que os Laboratórios de Inovação Cidadã (Labics) se baseiam na metodologia utilizada pela Secretaria-Geral Ibero-americana (SEGIB). “São espaços de experimentação, aprendizagem e criação de soluções para resolver problemas e desafios da sociedade para os quais, muitas vezes, os governos e instituições não têm proposta”. A partir de tecnologias colaborativas e do envolvimento da própria comunidade, os participantes propõem processos e projetos baseados em mentorias e trocas, que resultam em iniciativas inovadoras voltadas para o uso comum.

“Tem muita ação e, embora não tenha escala, eles funcionam como laboratórios de política pública que pode ser replicada por outra comunidade. É uma ideia bem interessante, que pode usar tecnologia digital, tecnologias sociais, ou seja, as mais diversas tecnologias, quando a gente pensa no sentido amplo. A ideia é que o laboratório acaba sendo um mapa de ações transformadoras, que é o título do Laboratório de Inovação Cidadã desta edição. Os projetos são selecionados em cima do impacto dessas propostas”.

Os Labics foram iniciados pela UFRJ em 2017. Durante a pandemia do novo coronavírus, foram feitas duas edições com o tema favela e universidade, sendo a primeira online e a segunda no formato híbrido (virtual e presencial)

Extensão

A Extensão é a área da UFRJ que conecta a universidade à sociedade. Com 3 mil projetos de diferentes áreas, as ações de extensão atingem um público de mais de 2 milhões de pessoas por ano, no Rio de Janeiro e em todo o Brasil, por meio de pesquisas, eventos, cursos, oficinas e capacitações.

Fonte: Educação