Segunda-feira, 22 de Julho de 2024

POLÍTICA Sábado, 16 de Setembro de 2023, 08:17 - A | A

Sábado, 16 de Setembro de 2023, 08h:17 - A | A

PREVARICAÇÃO

Botelho admite ter orientado Wilson não responder PGE; 'notificação não é função da PGE'

Evelyn Siqueira/ O Bom da Notícia

Nesta última quinta-feira (14), o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (UB), admitiu à imprensa que orientou o colega de Parlamento, Wilson Santos (PSD), a não prestar informações à Procuradoria Geral do Estado (PGE), sob o argumento que a realização de notificação extrajudicial não seria função da PGE.

“O Wilson me ligou falando sobre uma notificação da Procuradoria Geral do Estado para ele, então eu disse que isso era descabido, porque ela[PGE] não tem essa função. E disse para ele não prestar nenhuma informação. Essa foi a minha orientação”, disse 

Vale lembrar que a notificação extrajudicial da PGE surgiu após o deputado social democrata denunciar à imprensa, suposta existência de uma máfia entre os servidores da Secretaria de Estado de Saúde (SES) para negociar propina.

Segundo o parlamentar, ele teve acesso a documentos e interceptações telefônicas que comprovam um esquema de propina na negociação de leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em vários hospitais regionais de Mato Grosso.

“Eu confirmo, tenho os documentos, as interceptações e estou recebendo mais documentos. Quero pedir: quem tiver provas importantes, que encaminhe ao nosso gabinete de maneira anônima, porque nós vamos apresentar à sociedade o tamanho desse rombo [...] Nas interceptações que eu tenho rola propina, tem nome de servidor, rola percentual. Estamos precisando de mais documentos para que o governador se sensibilize (sic)”, disparou Wilson

Para a PGE, as declarações do deputado jogadas na imprensa - sem que isso seja levado a quem compete, de fato, e tem oo poder de investigação -, 'colocam sob suspeita mais de sete mil servidores da SES, que trabalham com responsabilidade em prol dos mato-grossenses'. Por este motivo realizou uma representação criminal contra Wilson, pelo crime de prevaricação.