Quinta-feira, 20 de Junho de 2024

POLÍTICA Quinta-feira, 16 de Maio de 2024, 17:52 - A | A

Quinta-feira, 16 de Maio de 2024, 17h:52 - A | A

TJ-MT

Kero Kero afirma que Câmara vai recorrer de decisão que suspendeu processante contra Emanuel

Evelyn Siqueira/ O Bom da Notícia

O vereador Wilson Kero Kero (PMB) afirmou durante conversa com a imprensa nesta quinta-feira (16), que a Câmara Municipal irá recorrer da decisão judicial que determinou a suspensão dos trabalhos da Comissão Processante que investigava o prefeito, Emanuel Pinheiro (MDB).

Classificando como um ‘caminho natural’ recorrer da decisão da justiça estadual, Kero Kero informou que a oitiva que estava marcada para ocorrer nesta sexta-feira (17), quando seriam ouvidas as testemunhas de Pinheiro, foi suspensa após orientação da procuradoria da Casa de Leis, já que ainda não foram notificados.

“Decisão judicial se cumpre, mas a partir do momento que a gente for intimado nós iremos recorrer! E é um caminho natural! A oitiva que ocorreria amanhã foi suspensa, porque não vamos enfrentar uma decisão judicial e foi uma orientação da procuradoria para que a gente aguarde ser notificado, mas de pronto nós iremos fazer esse recurso”, disse

A decisão liminar a favor do emedebista foi proferida pelo juiz da Segunda Vara de Fazenda Pública de Cuiabá, Márcio Aparecido Guedes, nesta quarta-feira (14).

Um dos argumentos usado pela defesa de Pinheiro, foi o de que o parlamentar, Fellipe Corrêa (PL), teria participado de uma das reuniões da Comissão, o que Kero Kero discordou ao garantir que o liberal ‘não participou ou opinou’.

“Vamos comentar ponto a ponto o que foi citado na decisão e basicamente foram dos tópicos citados, um que foi a generalidade do processo por existir 17 comissões processando o que dificultaria o amplo direito de defesa, — mas não é meu entendimento —, o outro ponto, foi que o Fellipe teria participado da reunião, mas ele como todo outro vereador recebe um comunicado de todas as reuniões ordinárias, — deliberativa —, e era uma reunião ordinária, então, não foi uma reunião que ele participou ou opinou, mas como eu disse decisão judicial se cumpre e quando chegar aqui a intimação, vamos recorrer”, pontuou