icon Quarta-feira, 16 de Junho de 2021

POLÍCIA Segunda-feira, 16 de Dezembro de 2019, 12:42 - A | A

VEJA VÍDEO

‘Surtado’ esfaqueia irmão e o patrão; na delegacia ainda tenta comprar PMs com ouro

O Bom da Notícia

Homem de 34 anos foi preso após esfaquear o irmão e o gerente de uma balsa onde trabalhava e mantê-los como reféns. O crime aconteceu dentro da embarcação que navegava sobre o Rio Peixoto, em Peixoto de Azevedo (691 km ao norte de Cuiabá), após um suposto “surto”, no último sábado (14). Para realizar a prisão, policiais militares usaram um barco velho, para se aproximar da balsa.

 

O dono da embarcação foi quem acionou a Polícia Militar. A vítima afirmou que Vagno Sabino da Silva, conhecido como “Careca”, afirmava o tempo todo que era ia matar todo “mundo” e ameaçava que se alguém se aproximasse ele “faria em pedaços” todos os reféns. Os militares realizaram uma negociação com o suspeito, que em seguida liberou as vítimas. O irmão de Vagno foi atingido com um golpe de facão na mão e a outra vítima foi esfaqueada no ombro esquerdo. Os dois foram socorridos e encaminhados a uma unidade de saúde. 

 

O quadro do dono da balsa era grave, uma vez que ele estava desacordado e havia perdido muito sangue. Após o resgate, Vagno “surtou” novamente e tentou atacar os policiais, que efetuaram disparos para dispersá-lo. Assustado, pulou da balsa e tentou fugir pela mata. Os militares iniciaram a busca com auxílio de barco e a mãe do suspeito foi levada até o local para auxiliar. Foram mais de 5 horas de negociação, junto à mãe, até que os militares conseguiram prender o suspeito. 

 

Quando foi preso, Vagno estava usando apenas uma cueca. Ele foi encaminhado em seguida para a delegacia da cidade. O homem ainda tentou subornar um dos militares oferecendo 6 gramas de ouro por semana. Após a prisão, em checagem sobre o suspeito, os policiais identificaram que ele já tem passagens e estava com dois mandados de prisão em aberto. Agora irá responder por tentativa de homicídio, ameaça, desacato, corrupção ativa e desobediência.



Imprimir

Comentários